Início / Agricultura / Tetra Pak recebe pelo oitavo ano consecutivo a classificação “A” em transparência florestal

Tetra Pak recebe pelo oitavo ano consecutivo a classificação “A” em transparência florestal

A Tetra Pak foi reconhecida pela sua liderança em transparência empresarial e desempenho florestal pela organização ambiental sem fins lucrativos CDP, garantindo um lugar na sua “Lista A” anual.

Com base nos dados reportados através dos questionários CDP Florestas 2023, a Tetra Pak está entre os 2% de empresas que obtiveram a classificação “A”, entre as mais de 21.000 que foram avaliadas. A empresa também partilhou informações sobre Alterações Climáticas e, pela primeira vez, sobre Segurança da Água.

A obtenção de um “A” nos dois segmentos cimentou, mais uma vez, a inclusão da Tetra Pak no grupo de liderança do CDP, sendo a única empresa do sector das embalagens de cartão para alimentos e bebidas, refere uma nota de imprensa da empresa.

A Plataforma Intergovernamental para a Biodiversidade e Serviços de Ecossistemas (IPBES) adverte que a natureza está a deteriorar-se a um ritmo sem precedentes, principalmente devido à actividade humana. Os sistemas alimentares globais são o principal factor para a perda de natureza, apesar de estes sistemas dependerem dos seus recursos. No entanto, não se trata apenas de segurança alimentar, já que se estima que mais de metade do PIB mundial — 44 mil milhões de dólares de valor económico gerado – é moderada ou altamente dependente da natureza e dos seus serviços, acrescenta a mesma nota.

Gilles Tisserand, vice-presidente para o clima e biodiversidade da Tetra Pak, afirma que “dependemos da natureza para que nos proporcione os elementos básicos necessários à vida: de ar puro e água limpa a bens materiais, como os alimentos. Acreditamos que empresas como a Tetra Pak devem agir urgentemente, com base nas informações disponíveis actualmente, para reduzir o impacto da sua cadeia de valor, restaurar a biodiversidade e contribuir para uma transformação mais ampla dos sistemas alimentares”.

Circularidade e sustentabilidade social

E prossegue que “a nossa abordagem de protecção da natureza está intimamente ligada à nossa ambição no que diz respeito ao clima, à circularidade, à sustentabilidade social e aos sistemas alimentares. Cumpri-las exige determinados factores facilitadores em toda a empresa, incluindo pessoas e processos, por exemplo, reforço de capacidades, monitorização, apresentação de relatórios e divulgação”.

“À medida que nos esforçamos por liderar o caminho da transparência empresarial, estamos extremamente satisfeitos pela inclusão na ‘Lista A’ de florestas do CDP pelo oitavo ano consecutivo, assim como pelo facto de sermos a única empresa do sector das embalagens de cartão para alimentos e bebidas a fazer parte do grupo de liderança deste ano em todas as áreas de divulgação do CDP”, acrescenta Gilles Tisserand.

Por sua vez, Sherry Madera, CEO do CDP, declara: “Parabéns a todas as empresas da ‘Lista A’ do CDP e às empresas que iniciaram ou aceleraram o seu percurso rumo à transparência ambiental em 2023: no ano passado, vimos um aumento de 24% na divulgação de informação e essa trajectória é bem-vinda. Ao estabelecerem as bases para a divulgação, as empresas poderão demonstrar que levam a sério o papel vital que desempenham na protecção do futuro”.

“Alcançar uma posição na ‘Lista A’ representa mais do que apenas a pontuação. É uma indicação da elevada qualidade e exaustividade dos dados que proporcionam às empresas uma visão holística do seu impacto ambiental, serve de referência para os planos de transição e, mais importante ainda, permite-lhes cumprir as suas ambições declaradas. Como o CDP eleva continuamente a fasquia da liderança ambiental, o trabalho de todas as empresas deve ser celebrado, mas nunca estará completo. Temos de assistir ao aumento da ambição das empresas no que diz respeito às acções positivas relacionadas com o clima e com a natureza. Isto nunca foi tão crucial”, frisa Sherry Madera.

Classificação

O CDP utiliza uma metodologia detalhada e independente para avaliar estas empresas, classificando-as de “A” a “D”, com base na exaustividade da divulgação de informações, sensibilização e gestão dos riscos ambientais e na demonstração das melhores práticas associadas à liderança ambiental, como a definição de objectivos ambiciosos e significativos. As empresas que não divulgam informações ou fornecem informações insuficientes são classificadas com “F”.

A pontuação do CDP para as florestas é feita através da análise de quatro matérias-primas: madeira, produtos pecuários, soja e óleo de palma. As empresas têm de obter uma classificação de A em pelo menos uma destas matérias-primas de risco florestal para conseguirem um lugar na “Lista A” de florestas.

A lista completa de empresas incluídas este ano na “Lista A” do CDP pode ser consultada aqui.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

CCIP promove conferência “Sustentabilidade e Competitividade” em parceria com Novo Banco

Partilhar              A Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa (CCIP), em parceria com o Novo Banco e …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.