Início / Agricultura / Presidência húngara do Conselho da UE defende “política agrícola centrada no agricultor”
© Presidência húngara

Presidência húngara do Conselho da UE defende “política agrícola centrada no agricultor”

A Hungria assume a presidência do Conselho da União Europeia (UE) de 1 de Julho a 31 de Dezembro de 2024. E defende “uma política agrícola da UE centrada no agricultor”.

“A agricultura europeia pode nunca ter enfrentado tantos desafios como hoje. Condições climáticas extraordinárias causadas por alterações climáticas, custos crescentes de insumos, aumento de importações de países terceiros e regras de produção excessivamente rigorosas diminuíram significativamente a competitividade do sector”, realça o documento das prioridades da presidência húngara.

E acrescenta que “a soma desses desafios levou a uma situação em que o rendimento dos agricultores europeus está ameaçado. É essencial ver a agricultura não como uma causa das alterações climáticas, mas como parte da solução, envolvendo os agricultores na adopção de práticas de produção mais sustentáveis”..

Para a presidência húngara, “ao mesmo tempo em que garantem a segurança alimentar, os agricultores europeus fornecem a todos os cidadãos da UE bens públicos básicos. Portanto, uma garantia de longo prazo de soberania alimentar e segurança alimentar deve fazer parte da autonomia estratégica da UE”.

Assim, no próximo semestre, a presidência húngara incentivará o Conselho (Agricultura e Pescas) a “tirar partido do período de transição institucional e a orientar a nova Comissão na formulação das regras da política agrícola da União pós-2027 para uma economia competitiva, à prova de crises e com uma agricultura sustentável”.

“Promover a agricultura sustentável é uma prioridade fundamental para encontrar um equilíbrio racional em relação aos objetivos estratégicos do Pacto Ecológico Europeu, à estabilização dos mercados agrícolas e a um padrão de vida decente para os agricultores”, frisa o documento.

Pode ler o programa da presidência húngara do Conselho da UE aqui.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Tem porcos? Declaração obrigatória de existências tem de ser feita até 31 de Agosto de 2024

Partilhar              A DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária informa que no mês de Agosto de 2024, …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.