Início / Agricultura / Protecção Civil alerta: com descargas das barragens, caudais do Rio Tejo têm tendência a aumentar

Protecção Civil alerta: com descargas das barragens, caudais do Rio Tejo têm tendência a aumentar

O Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil alerta que, “decorrente da precipitação que se tem sentido no distrito, mas essencialmente devido ao início das descargas das barragens, os níveis hidrométricos e caudais do Rio Tejo terão tendência a aumentar”.

E refere em comunicado, das 11h00 de hoje, 9 de Dezembro, que, pela informação disponível prevê-se aumento dos caudais debitados pelas barragens, o que potencialmente contribuirá para um aumento dos níveis registados no Rio Tejo. Atendendo ainda aos avisos meteorológicos e Estado de Alerta Especial para precipitação para o distrito de Santarém e para os restantes distritos do País, é expectável um agravamento dos caudais com consequente influência na previsão anterior”.

Diz aquele Comando Distrital que, “com a informação disponível neste momento, não se prevê que o Rio Tejo transvase as suas margens, mantendo-se dentro do leito”. Mas, “prevê-se, no entanto, que as zonas que se situam dentro desse leito, e que são normalmente utilizadas como zonas agrícolas e de pastagem, possam ser afectadas“.

Os serviços municipais de protecção civil “devem garantir a monitorização das zonas potencialmente inundáveis pelos caudais” referidos e 2devem informar as populações para que retirem os seus bens e haveres que poderão estar ainda na zona de leito dos rios, potencialmente inundáveis, com particular destaque para animais”, adianta o mesmo comunicado.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Carmona Rodrigues lidera Grupo de Trabalho para estratégia de gestão, armazenamento e distribuição eficiente da água

Partilhar              O Governo decidiu criar um Grupo de Trabalho para delinear a estratégia multissectorial, “Água que Une”, …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.