Início / Agricultura / Vencedores das 24H Agricultura Syngenta visitam centro de investigação de sementes hortícolas da Syngenta em Almeria

Vencedores das 24H Agricultura Syngenta visitam centro de investigação de sementes hortícolas da Syngenta em Almeria

A equipa de estudantes da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança, que conquistou o primeiro lugar na edição de 2023 da competição formativa 24H Agricultura Syngenta, organizada pela Associação Portuguesa de Horticultura, visitou no dia 25 de Janeiro, o Centro de Investigação de Sementes Hortícolas da Syngenta em El Ejido, Almeria, Espanha, estrategicamente situado no coração da maior área de produção hortícola de estufa da Europa.

O Centro de El Ejido é um dos 11 centros de investigação e desenvolvimento de sementes hortícolas da Syngenta na Europa, e está dedicado à obtenção de sementes híbridas de tomate, pimento, pepino, curgete e melão. Uma equipa multidisciplinar de 150 pessoas trabalha na obtenção de linhas parentais e na produção e avaliação de híbridos pré-comerciais, avança uma nota de imprensa da empresa.

Os estudantes portugueses visitaram vários departamentos do Centro da Syngenta de El Ejido, como o Laboratório de Patologia, o Laboratório de Qualidade, a estufa de demonstração de variedades e o departamento de limpeza e processamento de sementes, de onde saem anualmente 30.000 pequenos lotes de sementes.

Por último, os estudantes visitaram uma estufa de produção comercial de pepino, do agricultor José Lopes, onde decorrem ensaios de variedades pré-comerciais da Syngenta, que são avaliadas através de fenotipagem automática, recorrendo a inteligência artificial incorporada numa aplicação móvel.

“Sementes com real valor para o mercado”

A Syngenta desenvolve “sementes com real valor para o mercado, respondendo às necessidades da cadeia de valor, desde o agricultor até ao consumidor. A companhia foi pioneira na obtenção de variedades de tomate resistentes ao vírus do rugoso (ToBRFV), um problema que está a alastrar pela Europa e que pode gerar até 70% de perdas na produção”, avança a mesma nota.

“Fizemos um esforço imenso e após 4 anos de trabalho conseguimos incorporar resistência ao ToBRFV nas nossas variedades de tomate e lançámos as primeiras no início de 2021”, explicou José Maria Zapata, responsável pelos centros de investigação de sementes hortícolas da Syngenta no Sul da Europa. A Syngenta tem actualmente cinco variedades comerciais com resistência intermédia ao ToBRFV – Lansor, Barosor, Ibeth, Quri e Waqu – e continua a trabalhar para introduzir alta resistência a este vírus em todas as suas variedades de tomate.

Na cultura do pimento, a Syngenta é líder com o seu vasto leque de variedades resistentes ao oídio e aos nemátodes e na cultura da curgete destaca-se pelas suas variedades resistentes ao vírus de Nova Delhi (ToLCNDV). Melhorar a vida útil dos produtos e reduzir o desperdício é outra das linhas de trabalho da Syngenta, com variedades como a couve-flor Destinica, cujos floretes conservam a cor branca, desde o campo ao prato.

Para desenvolver uma nova variedade hortícola são necessários cerca de 7 anos de investigação e 1,5 milhões de euros de investimento, revelou José Maria Zapata. Apenas cerca de 10% de milhares de potenciais variedades testadas anualmente chega à fase comercial.

Centro da Syngenta em El Ejido certificado em Good Seed and Plant Practices

O Centro da Syngenta em El Ejido está certificado em Good Seed and Plant Practices (GSPP), um referencial internacional que atesta as boas práticas de higiene e qualidade na produção de semente de tomate para prevenir a infecção com a bactéria Clavibacter michiganensis subsp. michiganensis (Cmm), que é a causa da maioria das infecções bacterianas em plantas de tomate em todo o Mundo.

A região de Almeria, no Sul de Espanha, é conhecida como a horta da Europa, 30.000 hectares de estufas beneficiam de um microclima caracterizado por Invernos amenos, graças à sua localização entre a serra e o mar. A economia local baseia-se em explorações hortícolas familiares, com cerca de 2 hectares em média, especializadas no cultivo de espécies como pimento, tomate, pepino, curgete, em estufas passivas. A aposta na qualidade dos produtos e a organização da produção em cooperativas de grande dimensão permite aos horticultores de Almeria exportar para toda a Europa, adianta a mesma nota.

Para os estudante Cristiano Moisés da Agrária de Bragança, vencedor das 24H Agricultura Syngenta, “a visita ao centro de I&D da Syngenta em Almeria proporcionou-nos uma perspectiva sobre a importância de novos conhecimentos e inovações na área da agricultura e de todo o trabalho e tempo necessários para se obterem resultados. A Syngenta é uma empresa líder e desempenha um papel crucial no campo da investigação agronómica, moldando a agricultura do futuro”.

Por sua vez, Carlos Lopes afirmou que “é de admirar o compromisso da Syngenta com os agricultores no acompanhamento, na inovação e na sustentabilidade em todos estes anos de investigação. Foi uma experiência muito enriquecedora e estou ansioso para partilhar os conhecimentos adquiridos e seguir as realizações e os avanços da Syngenta”.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Consulta pública sobre Acordo Comercial UE-Canadá termina a 25 de Abril

Partilhar              A Comissão Europeia tem em curso, até dia 25 de Abril de 2024, uma consulta …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.