Início / Agricultura / Ministério da Agricultura apoia agricultores e apicultores afectados pelos incêndios de Agosto com alimentação animal

Ministério da Agricultura apoia agricultores e apicultores afectados pelos incêndios de Agosto com alimentação animal

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, assinou hoje, 30 de Agosto, o despacho que determina o mecanismo de apoio para a compra e venda de alimentação animal nas Freguesias dos municípios de Castro Marim, Monchique, Odemira, Tavira e Vila Real de Santo António, na sequência dos incêndios florestais ocorridos entre 16 e 19 de Agosto de 2021. O apoio total é de 30 mil euros.

Para além das perdas materiais, uma grande percentagem de terrenos agrícolas destinados à pastagem animal, bem como locais de guarda de alimentos animal, designadamente palheiros, foram consumidos pelo fogo, fazendo com que os animais de produção ficassem sem alimentos, explica uma nota de imprensa do Gabinete de Maria do Céu Antunes.

Neste contexto, o despacho hoje assinado pretende “apoiar os produtores que não têm meios de alimentar os seus animais, através da aquisição e entrega directa de alimentação animal de emergência, nomeadamente alimentos grosseiros (feno), alimentos completos de manutenção (ração) para animais e glícidos (açúcar e melaço) para alimentação das colónias de abelhas”.

Beneficiários

São elegíveis para beneficiarem do presente mecanismo de apoio as explorações pecuárias de bovinos, ovinos e caprinos, bem como as explorações apícolas.

O Gabinete de Planeamento Políticas e Administração Geral (GPP), enquanto organismo que presta apoio técnico e administrativo ao Ministério da Agricultura, coordenará o processo, ficando também responsável pelos encargos financeiros decorrentes da aquisição dos alimentos de emergência, até à dotação máxima global de 30.000 euros.

O despacho determina, ainda, que as Direcções Regionais de Agricultura e Pescas do Algarve e do Alentejo serão as entidades responsáveis pela distribuição dos alimentos para os animais, enquanto que a Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, através dos seus serviços desconcentrados, prestará apoio na distribuição dos alimentos, identificando as necessidades dos produtores pecuários e dos apicultores, adianta a mesma nota.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

PSD recomenda ao Governo criação de sistema de videovigilância na floresta em todos os distritos de Portugal continental

Partilhar              O Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata (PSD) diz que a existência de sistemas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.