Início / Agricultura / Michelin leva inovação à Agraria 2023 para “melhor eficiência e sustentabilidade” no sector agrícola

Michelin leva inovação à Agraria 2023 para “melhor eficiência e sustentabilidade” no sector agrícola

A Michelin, líder no segmento dos pneus agrícolas, esteve presente na Agraria 2023, que comemora a sua sétima edição, de 24 a 27 de Janeiro, na Feira de Valladolid, em Espanha, sob o lema “Cultive oportunidades, colha benefícios”.

Durante a feira, em que a fábrica da Michelin de Valladolid teve um protagonismo especial no ano em que celebrará o seu 50º aniversário, a Michelin “aproximou do público a sua actual gama de pneus e soluções para ajudar os agricultores a trabalhar de forma eficiente e sustentável durante todo o ciclo de cultivo”, refere uma nota de imprensa da empresa.

José María González Ramírez, chefe de vendas de agrícola e engenharia da Michelin Espanha e Portugal, explicou na Agraria a visão de futuro do Grupo, com um claro objectivo: “queremos responder ao desafio que representa aproveitar a performance de uma maquinaria agrícola cada vez mais potente, e tecnologicamente mais avançada, através de uma estratégia baseada na inovação”.

José María González também sublinhou “a liderança da Michelin no sector da mobilidade fora de estrada para a agricultura, com uma completa gama de pneus e soluções complementaras, como o sistema de teleinsuflação PTG, ou os sistemas de conversão para lagartas da CAMSO, que, juntamente com a nossa gama de pneus, ajudam o agricultor a melhorar a sua produtividade e a sua rentabilidade, sem negligenciar o seu principal activo: a protecção do solo”.

Fábrica de Valladolid celebra 50º aniversário

O stand da Michelin na Agraria dedicou um espaço de destaque à fábrica da Michelin de Valladolid, que celebra este ano o seu 50º aniversário, aproximando a sua actividade do agricultor. Julián Picapiedra, responsável de relações externas para Castela e Leão, destacou que “o compromisso e o profissionalismo dos trabalhadores permitiram à fábrica de Michelin de Valladolid continuar a evoluir não só em matéria de segurança, uma das nossas principais prioridades, mas também no processo de digitalização, para consolidar-se como a referência no seio Grupo, com magníficos resultados em termos de industrialização e introdução de novas gamas de fabrico ‘Made in Spain’”.

A mais recente das quatro fábricas da Michelin em Espanha produziu o seu primeiro pneu de turismo a 2 de Outubro de 1973, e, actualmente, conta com uma superfície de mais de 630.000 metros quadrados, com mais de 1.610 trabalhadores, e com uma capacidade de produção de pneus que atinge as 90.000 toneladas anuais.

A fábrica conta com cadeias automáticas, dotadas dos mais recentes avanços tecnológicos, e as suas principais actividades são a produção de pneus de turismo e de pneus agrícolas, a renovação de pneus de Camião e os semiacabados.

Especializada no fabrico dos pneus agrícolas mais altos da gama, na fábrica de Valladolid são produzidos pneus para tractor, ceifeiras-debulhadoras e reboques, numa zona habilitada para o efeito que conta com uma superfície de 36.000 metros quadrados, em que trabalham 385 empregados.

Dos mais de 100.000 pneus por ano, relacionados com a actividade da agricultura, que se fabricam em Valladolid, 41% são para tractores de alta potência, el 30% para ceifeiras-debulhadoras, 15% para grandes reboques, 4% para maquinaria agroindustrial e 1% para tractores específicos.

Novidades da CAMSO

Os visitantes da feira também puderam conhecer em primeira mão as mais recentes novidades da CAMSO, e o sistema de insuflação centralizado PTG, que complementam a gama de produtos para o agricultor, e colocam a Michelin como líder em soluções de mobilidade OTR (operações fora de estrada) para o sector agrícola.

A CAMSO faz parte do Grupo Michelin desde 2018. Entre a ampla gama de produtos fruto desta aliança, desenvolvidos para que os agricultores possam melhorar a protecção do solo e a produtividade dos cultivos, destacam-se os sistemas CAMSO de conversão para lagartas CTS Halftrack, para tractores; CTS High Speed, para ceifeiras-debulhadoras; e CAMSO TTS, para máquinas plantadoras ou carros fertilizantes, os quais aumentam a mobilidade e a flexibilidade da maquinaria para uma melhor deslocação sobre campos com solos macios.

Tal permite minimizar os danos sobre o solo, poupar combustível, maximizar a eficiência, e aumentar a qualidade do trabalho. José María González Ramírez anunciou na Agraria que, depois do êxito alcançado em Itália, a CAMSO equipará de origem a nova série de tratores T5 da New Holand: “O T5 será o primeiro veículo de média potência que será comercializado no mercado espanhol com o sistema de correntes CAMSO instalado como equipamento de origem, sem necessidade de transformação”.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Inspectores de navios de São Tomé e Príncipe treinam na DGRM

Partilhar               A DGRM – Direcção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos informa que esta semana …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.