Início / Agricultura / Estudo da Continental: agricultores querem uma transformação sustentável
© Continental

Estudo da Continental: agricultores querem uma transformação sustentável

Os agricultores querem trabalhar em explorações agrícolas sustentáveis e estão empenhados em utilizar soluções que visem a poupança de recursos. Estas são as conclusões do estudo “Agricultura em Transição”, realizado pela Continental em conjunto com o Instituto de Pesquisa de Mercado Innofact AG, no final de 2023.

Quase dois terços dos inquiridos (cerca de 63%) experimentarem diariamente as alterações climáticas e os seus efeitos, como alterações nas condições meteorológicas e ambientais. Cerca de 78% dos agricultores preferem utilizar alternativas mais sustentáveis aos pesticidas convencionais. E 82% dos agricultores dizem que é importante usar tecnologias energeticamente eficientes e máquinas agrícolas, como veículos com sistemas de accionamento sustentáveis ou máquinas particularmente leves, revela o estudo.

Foram inquiridos 503 agricultores, de cinco países, sobre o seu trabalho diário, as suas preocupações e desafios. Os primeiros resultados do estudo foram anunciados na Agritechnica 2023. Uma análise dos resultados globais mostra que os agricultores de todo o Mundo não só estão abertos a mudanças sustentáveis, como consideram que esta é a tarefa mais importante de todas.

Impactos climáticos afectam o trabalho diário dos agricultores

Os inquiridos classificam a agricultura amiga do ambiente como o principal factor que determinará o sucesso a médio prazo do seu negócio, à frente da segurança e da digitalização. O facto de os agricultores estarem preocupados com os efeitos das alterações climáticas não surpreende, dado o ritmo acelerado das alterações globais, refere uma nota de imprensa da Continental.

No entanto, o facto de quase dois terços dos inquiridos (cerca de 63%) experimentarem diariamente as alterações climáticas e os seus efeitos, como alterações nas condições meteorológicas e ambientais, ilustra a necessidade urgente de acção. As questões que estão apenas indirectamente relacionadas com as alterações climáticas são também uma preocupação premente. Por exemplo, mais de dois terços dos agricultores inquiridos (cerca de 69%) consideram que a qualidade do solo – um factor crítico não só para uma agricultura sustentável, mas também para o sucesso económico de uma exploração agrícola – é essencial para o seu trabalho diário.

“Vemos o valor notavelmente alto que os agricultores atribuem à sustentabilidade no nosso estudo, como um apelo à acção. Não basta responder apenas à procura dos agricultores. Como uma empresa tecnológica, queremos liderar o caminho, através do desenvolvimento e fornecimento de tecnologias inovadoras e respeitadoras do ambiente. É nossa responsabilidade dotar os agricultores das soluções e dos conhecimentos que necessitam para gerir esta mudança. Através do desenvolvimento de tecnologias sustentáveis, podemos ajudar a conduzir a agricultura para um futuro onde a sustentabilidade ambiental e a rentabilidade económica andam de mãos dadas”, afirma Mário Branco, head of off-highway na Continental.

Atitude positiva em relação à sustentabilidade

O estudo mostra que os agricultores estão prontos para abraçar a mudança: oito em cada dez agricultores (79%) consideram importante trabalhar para uma agricultura comprometida com o meio ambiente e que aborde proactivamente a questão da sustentabilidade. Para quase nove em cada dez agricultores (cerca de 87%), é importante que as máquinas e equipamentos utilizados contribuam para a sustentabilidade.

Mas os agricultores também estão a passar do pensamento à acção: a maioria dos agricultores estão empenhados em gerir as suas explorações agrícolas de uma forma ambientalmente responsável. Cerca de 78% dos agricultores preferem utilizar alternativas mais sustentáveis aos pesticidas convencionais.

Estão também motivados a tornar a utilização de maquinaria mais sustentável e amiga do ambiente. Assim, 82% dos agricultores dizem que é importante usar tecnologias energeticamente eficientes e máquinas agrícolas, como veículos com sistemas de acionamento sustentáveis ou máquinas particularmente leves. Também, neste contexto, é importante a manutenção preditiva das máquinas utilizadas, considera um em cada dois agricultores (cerca de 50%). O uso ecológico de máquinas agrícolas é, também, muito popular, com cerca de 53% dos agricultores a conferir alta prioridade.

Fabricantes de tecnologia sob obrigação

Apesar destas ambições, a transformação sustentável da agricultura ainda está muitas vezes bloqueada e necessita do apoio dos fabricantes de tecnologia. Esta é também a conclusão do estudo da Continental. Mais de um em cada três agricultores (cerca de 37%) gostaria de ver um foco na modernização das máquinas existentes para utilizar tecnologias mais amigas do ambiente, evitando ao mesmo tempo novas compras dispendiosas.

Cerca de 34% dos inquiridos sublinham a necessidade de tecnologias mais sustentáveis. A durabilidade dos equipamentos é a questão mais importante para cerca de 62% dos agricultores. Este facto sublinha os esforços dos agricultores para utilizar os recursos de forma eficiente e sustentável. Quando se trata de novos investimentos, o impacto ambiental dos equipamentos utilizados também desempenha um papel fundamental. Uma vez que 35% dos inquiridos têm este factor em conta ao planear os seus investimentos, refere a mesma nota da Continental.

“Os agricultores de todo o mundo enfrentam grandes desafios: procura crescente de alimentos, maior regulamentação e efeitos visíveis das alterações climáticas. Para além dos políticos, que podem definir as condições-quadro, cabe também aos fabricantes responder a estas exigências com tecnologias duradouras e amigas do ambiente”, explica Mário Branco.

Pode ler o estudo “Agricultura em Transição” completo aqui.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

CCIP promove conferência “Sustentabilidade e Competitividade” em parceria com Novo Banco

Partilhar              A Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa (CCIP), em parceria com o Novo Banco e …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.