Início / Agricultura / Covid-19: Código de Boas Práticas para a Colheita de Produtos Hortofrutícolas tem edição actualizada
Designed by jcomp / Freepik

Covid-19: Código de Boas Práticas para a Colheita de Produtos Hortofrutícolas tem edição actualizada

O Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional (COTHN) acaba de publicar a segunda edição, actualizada, do Código de Boas Práticas para a Colheita de Produtos Hortofrutícolas.

No âmbito da pandemia de Covid-19, o COTHN-CC elaborou um código de boas práticas para apoio na implementação das medidas de prevenção nos processos associados à colheita e normalização de produtos hortofrutícolas.

Este documento foi alvo de revisão tendo em consideração a Orientação da Direcção-Geral de Saúde (DGS) de 26 de Fevereiro de 2020, actualizada a 29 de Abril de 2021 e a Orientação Conjunta da DGS e da DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária de 26 de Junho de 2020, sobre “Procedimentos de Prevenção e Controlo de infecção para o sector das frutas e legumes (Explorações agrícolas e Centrais de embalamento e armazenamento)”.

Quanto a medidas para os trabalhadores de campo, aconselha o Manual que devem ser criadas equipas/turnos fixos de trabalhadores para os quais devem ser adoptadas as seguintes recomendações ao nível do contacto pessoal:

  • Não pode haver contacto físico entre as pessoas, através de qualquer tipo de cumprimento;
  • Cada trabalhador disporá de acesso a um frasco de álcool ou outra solução desinfectante disponível em local de fácil acesso e devidamente identificado, que utilizará para desinfecção das mãos no início do seu dia de trabalho e várias vezes ao dia, assim como depois do uso de utensílios comuns (de metal ou plástico);
  • Os trabalhos no campo devem ser organizados de forma a salvaguardar, em todas as circunstâncias, a distância de segurança entre pessoas de mais de 1,5 metro;
  • Reduzir o contacto pessoal com pessoas externas não essenciais à actividade;
  • Deve ser restringida a entrada de pessoal externo na exploração;
  • Quando for necessário algum esclarecimento deve ser utilizado o telefone ou outros meios não presenciais;
  • Deve-se privilegiar o uso em exclusivo pelo trabalhador do seu equipamento de colheita (como por exemplo baldes, etc), no entanto sempre que tiver de haver utilização partilhada de um equipamento motorizados (por exemplo porta-paletes, tractor, carro), o trabalhador deve desinfectar as zonas onde poderá vir a tocar durante a sua utilização.
    A recolha dos palotes e caixas de produtos colhidos no campo deve ser feita pelos trabalhadores de campo, sendo que o motorista (se possível, não tenha papel activo na colheita) permanece dentro da viatura, assim como na central/armazém o descarregamento será feito por funcionários da central, permanecendo, mais uma vez, o motorista dentro da viatura;
  • Os trabalhadores que manifestem sintomas não devem comparecer no local de trabalho, mas sim, avisar a entidade patronal seguir as orientações da Direcção Geral de Saúde: não sair de casa, ligar para SNS24 – 808 24 24 24 e seguir as recomendações.

Higiene pessoal

O documento, no que diz respeito à higiene pessoal, refere que os empresários agrícolas devem assegurar que os trabalhadores lavam as mãos com água e sabão ou utilizam um produto desinfectante à base de solução alcoólica anti-séptico nomeadamente quando ocorre: manuseamento de produtos hortofrutícolas; depois de usar as instalações sanitárias; depois de tocar em superfícies de contacto frequente; após tossir ou espirrar; após manusear lenços com secreções; antes e depois de comer; antes de cada tarefa limpa e depois de cada tarefa suja.

Formação

Já na área da formação, diz o documento que os empresários agrícolas devem facultar aos trabalhadores informações em matéria de riscos sanitários (ex: boas práticas de higiene pessoal, estado de saúde, manipulação de alimentos, produtos químicos). A disponibilização escrita ou oral de instruções de trabalho pode ser considerada como material complementar de formação ou sensibilização.

Por outro lado, acrescenta o manual que a aprendizagem deverá ser activa e não passiva: fazer a todos os trabalhadores demonstrações práticas da técnica da lavagem das mãos, das medidas de etiqueta respiratória e da utilização de máscara (como colocar, como retirar; deitar imediatamente para o lixo após o seu uso não tocar na máscara com as mãos durante a sua utilização; mudar a máscara quando estiver molhada).

Pode ler o Código de Boas Práticas para a Colheita de Produtos Hortofrutícolas completo aqui.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Crédito Agrícola aposta na descentralização e proximidade com concelho da Póvoa de Varzim

Partilhar              A Caixa de Crédito Agrícola reabriu a sua agência de Balasar, concelho de Póvoa de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.