Início / Featured / Ana Paula Vitorino: aumento da quota da sardinha é “impacto positivo nas exportações de conservas”

Ana Paula Vitorino: aumento da quota da sardinha é “impacto positivo nas exportações de conservas”

A Comissão Europeia comunicou no passado dia 21 de Julho que aceitava os pedidos de Portugal e Espanha de aumento de quota da sardinha, para 17 mil toneladas. A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, afirmou que o aumento da quota da pesca de sardinha em Portugal terá “um impacto muito positivo nas exportações das conservas nacionais”.

Na Póvoa de Varzim, durante uma visita à fábrica de conservas de peixe A Poveira, Ana Paula Vitorino destacou, ontem, 26 de Julho, a importância do sector no País, referindo que anualmente são exportados 200 milhões de euros em conservas.

“O aumento da quota da sardinha é uma boa notícia para os pescadores, mas também para a indústria. O que nos diferencia é usarmos sardinha portuguesa, e se não tivermos capacidade de pesca não conseguimos sobressair neste sector”, disse a ministra.

Ana Paula Vitorino referiu que a Comissão Europeia aceitou a pretensão do Governo e autorizou o aumento da quota de pesca de sardinha para 17 mil toneladas (dois terços para portugueses e um terço para espanhóis) e o prolongamento da captura até final de Outubro.

A ministra afirmou que o aconselhamento inicial do Conselho Internacional para a Exploração do Mar era de 1.584 toneladas.

Depois de conhecer as instalações da A Poveira, a ministra sublinhou diversos aspectos importantes para o desenvolvimento da Póvoa de Varzim e do País no que concerne à indústria conserveira: “este sector representa mais de 200 milhões de euros por ano em exportações. A Poveira é um bom exemplo de aplicação dos fundos comunitários. Foi feito um investimento de 9 milhões de euros nos últimos três anos que resultou no aumento de postos de trabalho, numa maior eficiência energética e na capacidade de produção”.

Negociações com a União Europeia

As expedições científicas e a boa capacidade dos pescadores em gerirem os stocks foram referidas pela ministra como argumentos que fizeram a diferença nas negociações com a União Europeia.

“Foi um esforço incrível aquele que os pescadores têm feito para gerir de forma mais sustentável este recurso, mas que agora, estando em recuperação, tem as suas recompensas para o sector e para indústria”, disse Ana Paula Vitorino.

A ministra afirmou também que “existem cerca de 27 milhões de euros para projectos de eficiência energética e aumento capacidade produtiva, o que a serem bem aproveitados irá consolidar a posição de Portugal como exportador de referência destes produtos”.

Grupo de trabalho para o assoreamento

Ainda na Póvoa de Varzim, relativamente à questão do assoreamento, a ministra explicou que foi formado um grupo de trabalho com “o objectivo de se obter uma solução a médio/longo prazo. Mas, enquanto essa solução não surge e, uma vez que o tempo não pára, será realizada uma dragagem, o mais tardar, em Outubro”.

Sobre este assunto, o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, louvou “a constituição de um grupo de trabalho para estudar a melhor solução para o Porto de Pesca. Outubro não é a melhor altura para se efectuar uma dragagem mas, também, sempre defendi que é preferível fazer a não fazer de todo de modo a darmos garantias de segurança aos nossos pescadores. Parece-me que o Ministério do Mar está a encarar com seriedade esta questão”.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Câmara de Santarém atribui Medalha de Ouro ao CNEMA

Partilhar              A Câmara de Santarém condecorou hoje, 14 de Junho, o CNEMA — Centro Nacional de …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.