Início / Agricultura / Albufeira arranca com recolha de biorresíduos alimentares para serem utilizados na fertilização dos solos

Albufeira arranca com recolha de biorresíduos alimentares para serem utilizados na fertilização dos solos

O Município de Albufeira deu início, dia 1 de Fevereiro, à recolha de biorresíduos alimentares no sector Horeca, nomeadamente nos restaurantes da zona da Guia. Os resíduos orgânicos são diariamente recolhidos pela Luságua para serem utilizados na fertilização dos solos.

Assim, “para além da recolha dos biorresíduos verdes, chegou agora a vez dos biorresíduos alimentares”, sublinha o presidente da Câmara Municipal de Albufeira, José Carlos Rolo. Ainda durante este mês, o projecto irá estender-se à recolha nas escolas da rede pública do concelho, iniciativa que vai ser complementada com a Campanha de Sensibilização Ambiental “Albufeira Valoriza!” dirigida a alunos, educadores e professores, bem como à restauração.

Segundo avança a autarquia em nota de imprensa, a recolha de biorresíduos é efectuada em parceria com a empresa Luságua. Para o efeito foram distribuídos baldes de 240 litros para que os estabelecimentos de ensino possam colocar os biorresíduos alimentares, produzidos no âmbito da confecção das refeições, nomeadamente as cascas de fruta e de legumes.

No âmbito do projecto, os resíduos orgânicos são diariamente recolhidos pela Luságua para serem utilizados na fertilização dos solos, “com vista a contribuirmos para uma agricultura mais sustentável e amiga do ambiente”, refere o presidente da Câmara Municipal de Albufeira, sublinhando que os resíduos são transformados em composto 100% natural”.

Acrescenta, ainda, que “ao separarmos e depositarmos correctamente este tipo de resíduos estamos a contribuir para uma economia circular e para o cumprimento das metas previstas no PERSU2020 – Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos, o que em última análise ajuda na preservação do Ambiente”.

José Carlos Rolo recorda que “os biorresíduos alimentares correspondem a cerca de 36% do total dos chamados resíduos indiferenciados. Com este tipo de separação e recolha pretendemos alcançar uma redução bastante significativa em relação ao total dos resíduos não valorizados”.

O autarca informa ainda que a acção tem por objectivos promover a valorização e reciclagem dos resíduos biodegradáveis, combater as alterações climáticas, aumentar a reciclagem multimaterial e reduzir a produção de resíduos com a valorização de uma parte bastante significativa. “Esta é apenas a primeira fase do projecto de recolha de resíduos orgânicos que, brevemente, será estendida a toda a população do concelho”, frisou.

Refere a mesma nota que, actualmente, cerca de 36% dos resíduos que são despejados nos contentores destinados à deposição de lixo indiferenciado são resíduos orgânicos, nomeadamente restos de alimentos sólidos que sobram das refeições, cascas de fruta, cascas e restos de legumes, cascas de ovo, restos de carne e peixe confeccionados, restos de pão e bolos, guardanapos de papel, entre outros itens.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Inspectores de navios de São Tomé e Príncipe treinam na DGRM

Partilhar               A DGRM – Direcção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos informa que esta semana …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.