Início / Agricultura / Universidade do Porto: CIBIO-InBIO recebe veículo da REN para apoio científico à biodiversidade

Universidade do Porto: CIBIO-InBIO recebe veículo da REN para apoio científico à biodiversidade

A REN – Redes Energéticas Nacionais entregou uma viatura 4×4 ao Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto (CIBIO-InBIO), que estará ao serviço das acções de campo, que decorrem no âmbito da Cátedra em Biodiversidade, criada em parceria pela REN, a Fundação para a Ciência e Tecnologia e a Universidade do Porto.

A Cátedra em Biodiversidade tem como objectivo o desenvolvimento e promoção de actividades ligadas ao ensino, investigação e divulgação científica nos diferentes domínios da biodiversidade e em temas de interesse mútuo para a Universidade do Porto e para a REN.

Sisão e a cegonha-branca

Francisco Moreira, detentor da Cátedra e investigador do CIBIO-InBIO afirma que “a viatura será utilizada para os estudos de campo sobre ecologia de algumas espécies de aves cujas populações serão mais afectadas pela presença das linhas eléctricas, entre elas o sisão e a cegonha-branca”.

Francisco Parada, responsável da área de qualidade, ambiente e segurança da REN, referiu que “a entrega desta viatura é o reforço do compromisso assumido pela empresa com o desenvolvimento sustentável e com protecção da biodiversidade, enquanto empresa de referência no transporte integrado de energia. Esta viatura será mais um complemento significativo para apoio ao trabalho de campo que o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto desenvolve de forma extremamente compete e com a qualidade que é reconhecida internacionalmente”.

13 investigadores

Até ao momento, nas actividades da Cátedra REN em Biodiversidade estiveram envolvidos um total de 13 investigadores, incluindo 7 bolseiros de doutoramento e pós-doutoramento, 3 alunos de licenciatura e 1 investigador FCT.

Por outro lado, a Cátedra REN em Biodiversidade permitiu ainda sistematizar e divulgar o trabalho desenvolvido. Foram publicados até ao momento um total de 39 artigos científicos em revistas internacionais de referência.

A Cátedra assenta em 4 pilares: monitorização, minimização e compensação de impactes; ecologia populacional; cidadania na ciência e linhas complementares de actividade.

No primeiro pilar desenvolve-se investigação no domínio da avaliação, monitorização, minimização e compensação de impactes de redes de transporte de energia sobre a biodiversidade, com particular atenção para as linhas eléctricas.

Está em elaboração com as autoridades relacionadas com a conservação da natureza e biodiversidade um manual de Boas Práticas para a avaliação, minimização, compensação e monitorização de impactes das redes de transporte de energia.

Demografia das espécies

O segundo pilar é dedicado à análise das respostas demográficas de espécies sujeitas a mortalidade não natural, um estudo que, no futuro, poderá ajudar a definir as circunstâncias em que se deverão envidar esforços significativos de minimização ou compensação, e para onde direccionar esses esforços.

O terceiro pilar centra-se nos projectos de cidadania na ciência (Citizen Science), uma tendência em crescimento a nível internacional, mas com uma expressão ainda relativamente reduzida em Portugal.

Estes projectos têm o duplo objectivo de sensibilizar os cidadãos para a importância da actividade científica, através do seu envolvimento em iniciativas concretas, e de permitir a recolha de dados relativamente simples, mas úteis, que seriam difíceis ou muito dispendiosos de recolher por processos convencionais.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Produção de kiwi em 2017 alcançou as 35,4 mil toneladas, a maior de sempre

A produção de kiwi alcançou as 35,4 mil toneladas, a maior de sempre, resultado quer …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.