Início / Featured / Movimento de mercadorias do Porto de Luanda cai 25,7% no 1º trimestre de 2018

Movimento de mercadorias do Porto de Luanda cai 25,7% no 1º trimestre de 2018

O Porto de Luanda, Angola, registou no primeiro trimestre deste ano uma redução de 25,7% no movimento de mercadorias. Foram manuseadas 1,477 milhões de toneladas, uma quebra de 509.584 toneladas em relação ao período homólogo de 2017.

Segundo divulga a APLOP — Associação dos Portos de Língua Portuguesa, a redução drástica no movimento de mercadorias no Porto de Luanda deve-se “à situação económica e financeira menos boa do país, bem como a dinâmica da indústria marítima, que ao longo deste período passou a usar navios de maior dimensão”, afirma o administrador comercial daquele porto, Manuel Zangui (na foto).

73º aniversário do Porto de Luanda

Em entrevista à Angop, a propósito do 73º aniversário do Porto de Luanda, que se assinalou dia 15 de Junho, o gestor lembrou que maior parte das mercadorias movimentadas pelo porto é importada, devido à fraca produção nacional, facto que inverteu o curso da actividade portuária de um “porto exportador para importador.

Actualmente o Porto de Luanda está a operar abaixo da sua capacidade instalada, estimada em 15 milhões de toneladas de mercadorias diversas/ano, operando apenas, nos últimos três anos, com quase a metade da sua capacidade.

A título de exemplo, em 2016, o porto registou o movimento de 7,190 milhões de toneladas de mercadorias diversas, quando em 2017 houve uma ligeira subida para 7,703 milhões de toneladas.

Os valores estão aquém da movimentação do Porto em 2014, considerado um dos anos mais produtivos da empresa portuária, tendo movimentado 13 milhões, 60 mil e 494 toneladas de mercadorias, contra oito milhões 912 mil e 469 em 2015.

Cinco terminais portuários

Com uma força de trabalho de 465 colaboradores, o Porto de Luanda conta com cinco terminais portuários: terminal de carga geral, terminal polivalente, terminal de contentores, terminal de apoio a actividade petrolífera e terminal multiusos.

A gestão destas infra-estruturas portuárias está sob tutela das empresas privadas, designadamente, Multiterminais, Unicargas, Sogester, Sonils e Soportos, respectivamente. Nestas empresas estão empregados pelo menos três mil trabalhadores.

O Porto de Luanda foi criado oficialmente a 15 de Junho de 1945, com a inauguração da primeira infra-estrutura portuária denominada “Pontão”.

Na altura, o objectivo principal da criação do Porto de Luanda era vocacionado para exportação da produção nacional (café e outras matérias-primas), mas com passar dos anos registou-se uma inversão do seu verdadeiro papel, passando para um porto principalmente importador, em função da dinâmica da economia e a baixa produção nacional.

Em 1975 Angola tornou-se um Estado independente. Esta mudança política trouxe consigo alterações a nível da gestão dos portos angolanos. Por terem sido considerados estratégicos para o desenvolvimento da economia nacional, em 1980 os portos foram transformados em empresas estatais autónomas, dando-se assim, a separação de gestão entre os portos e os caminhos-de-ferro.

Em 1980 foi criada a Empresa Portuária de Luanda, abreviadamente designada Porto de Luanda, como uma Unidade Económica Estatal (UEE), com sede em Luanda e dependente do Ministério dos Transportes e Comunicações.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Bayer publica online mais de 300 resumos de estudo sobre segurança do glifosato

A Bayer marcou o primeiro aniversário da sua Iniciativa de Transparência, destinada a aumentar a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.