Início / Agricultura / Madeira aumenta cultivo de vinha e tem castas para fornecimento ao viticultor

Madeira aumenta cultivo de vinha e tem castas para fornecimento ao viticultor

O IVBAM – Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira decidiu aumentar o número de plantas e as castas disponíveis para fornecimento ao viticultor. Para tal, foram inscritas na campanha passada mais 12 novas parcelas de vinha (vinhas mãe) destinadas à recolha de material para propagação e cujo resultado já é possível se verificar no presente ano, com a disponibilidade de material para enxertia no local definitivo, assim como se reflectirá no próximo ano, uma vez que com o material recolhido também serão produzidos enxertos prontos, que estarão disponíveis na próxima campanha.

Segundo uma nota do Governo Regional da madeira, o aumento das exigências no que respeita ao material vegetativo vitícola de propagação tem vindo a aumentar nos últimos anos, o que tem levado a que os viticultores “cada vez mais estejam dependentes de material certificado para efectuar as suas plantações, conforme determinado na legislação em vigor”.

Regras de certificação

Só a título de exemplo, embora seja permitido a utilização de material da própria exploração em replantações, tratando-se de uma plantação co-financiada, o material terá de cumprir as regras de certificação e ser fornecido por um viveirista.

“A maioria das castas tradicionais da Madeira têm pouca expressão fora da região, razão pela qual é difícil encontrar material certificado em viveiristas do continente ou estrangeiros”, diz a mesma nota.

Desde o passado dia 20 de Março o IVBAM, tem disponível para fornecimento ao viticultor material vegetativo vitícola. No entanto, e de “acordo com as inscrições recebidas para fornecimento de enxertos prontos e garfos, as plantas são distribuídas dando prioridade às plantações que são efectuadas ao abrigo de candidaturas ao Regime de Apoio à Reestruturação e Reconversão da Vinha, sendo acauteladas todas as plantações que obrigatoriamente tenham de ser concluídas em 2017″, explica o Governo Regional da madeira.

Para todas as restantes inscrições, e nos casos em que não existam enxertos prontos, os viticultores podem optar por plantar bacelos e proceder à enxertia no próximo ano. Há disponibilidade para fornecer bacelos que serão enxertados no próximo ano (2018)”, adianta a mesma fonte.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Navigator sensibiliza crianças em Aveiro para a importância da floresta

A The Navigator Company, no âmbito do projecto “Dá a Mão à Floresta”, levará a …

Um comentário

  1. Venancio Caldeira Fernandes

    ola , gostava de saber qual o nome de uma casta tradicional da ilha da madeira que antigamente era usada para a elaboracao de rom/brandy , muito obrigado .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.