Início / Agricultura / Jornadas Fenareg terminam com Capoulas no 50.º aniversário da Associação de Beneficiários do Roxo

Jornadas Fenareg terminam com Capoulas no 50.º aniversário da Associação de Beneficiários do Roxo

As XI Jornadas Fenareg – Encontro Regadio 2018, que se iniciaram hoje, em Montes Velhos, no concelho de Aljustrel, terminam amanhã, 16 de Novembro, com um almoço comemorativo dos 50 anos do Aproveitamento Hidroagrícola do Roxo, com a presença do ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos.

As Jornadas da Fenareg – Federação Nacional de Regantes de Portugal, presidida por José Núncio, são realizadas com a colaboração da Associação de Beneficiários do Roxo, associando-se assim às comemorações dos 50 anos desta obra de regadio público. E conta com o apoio do Novo Banco.

Associação de Beneficiários do Roxo

Hoje, na sessão de encerramento dos trabalhos do primeiro dia das Jornadas, José Núncio, presidente da Fenareg, António Parreira, presidente da ABRoxo e Gonçalo Leal, director-geral da DGADR — Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, fizeram o ponto de situação dos trabalhos desenvolvidos.

Estratégia Nacional para o Regadio

Antes, Francisco Gomes da Silva apresentou o estudo elaborado pela AgroGes e promovido pela Fenareg, que visa o desenvolvimento de um contributo para uma estratégia do regadio num horizonte alargado, até 2050.

Um estudo que tem por objectivo principal constituir-se como um contributo “sólido e fundamentado para a definição de uma Estratégia Nacional para o Regadio”. (ver aqui)

Com base nos três pilares identificados pelo estudo, tendo em conta a natureza de muitas das intervenções associadas ao desenvolvimento do regadio (nomeadamente aquelas que estão associadas à construção e/ou melhoria de infra-estruturas de captação, armazenamento e distribuição de água para rega), entendeu-se adequado que o período alvo desta estratégia se estendesse até 2050.

Modelo de gestão da água de Alqueva

Nas jornadas foi ainda apresentado o estudo “Gestão do Regadio Público na área de Influência do EFMA”, realizado a seu pedido por investigadores do Instituto Superior de Agronomia (ISA). Um desafio lançado pelo ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos.

O estudo propõe um novo modelo de gestão da rede primária e das redes secundárias de distribuição da água no perímetro de rega de Alqueva. Concretamente, os investigadores propõem “uma adequada gestão da rede primária, como garante da satisfação das necessidades de água associadas a cada bloco de rega e A.H. confinantes”, segundo se pode ler no resumo não técnico do documento. (ver aqui)

Nas Jornadas, hoje, António Parreira e o presidente da Câmara Municipal de Aljustrel, Nelson Brito, falaram da importância do regadio para o desenvolvimento regional e nacional.

Ver também:

José Núncio, Fenareg: “Em Portugal não existe um Plano Nacional de Regadios”

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

CNEMA recebe Concurso Nacional de Mel a 8 de Março. Inscreva-se aqui

A 10.ª edição do Concurso Nacional de Mel e a 7.ª edição do Concurso Nacional …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.