Início / Agricultura / Incêndios do Algarve. Saiba onde pedir apoios e o que pode doar com urgência

Incêndios do Algarve. Saiba onde pedir apoios e o que pode doar com urgência

O incêndio de Monchique é, até agora, o maior da Europa, registado neste Verão de 2018. Destruiu cinco vezes mais do que toda a área ardida este ano no País, até dia 15 de Julho, cerca de 27 mil hectares.

Famílias, empresários, agricultores, precisam de ajuda. O Ministério da Agricultura está já no terreno a avaliar os prejuízos e a apoiar na alimentação animal. Mas as autarquias apelam à ajuda e ao voluntarismo. Os concelhos mais afectados sãos os de Monchique, Silves e Portimão.

E os técnicos do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, liderado por Luís Capoulas Santos, ajudam nas Declarações de Prejuízo.

Em cada uma das Juntas de Freguesia estão presentes dois técnicos do Ministério da Agricultura para apoiar os agricultores no preenchimento das Declarações de Prejuízo e para prestação de informações, salienta uma nota de imprensa do Gabinete de Capoulas Santos.

As chamas queimaram 27 mil hectares do Algarve. Uma área equivalente a três concelhos de Lisboa e a pelo menos metade da área afectada de Pedrógão Grande em 2017.

Monchique

A Câmara Municipal de Monchique já informou que, face à situação actual e aos últimos acontecimentos, estão abertas linhas de apoio às vítimas dos incêndios.

A rede só agora começa a ficar restabelecida e os contactos são 927 244 342 / 925 527 586.

“As necessidades urgentes são: utensílios domésticos, alfaias/maquinaria agrícola, tubagem e material de rega, comida e medicamentos para animais, no entanto toda a ajuda é bem vinda”, salientam os responsáveis pela autarquia de Monchique.

Todos querem ajudar

Os portugueses são unidos e solidários. Ficou a prova de Pedrógão Grande. Mas a ajuda causa sempre mal-entendidos.

Por isso, refere a autarquia de Monchique que, no seguimento de mensagens relativas ao apoio que Monchique está a prestar em relação aos animais vítimas dos incêndios, a autarquia “está a aceitar toda a ajuda e toda a ajuda é bem vinda”, os animais, tais como as pessoas, “são uma prioridade”, e “existe um posto de recolha na Escola E.B 2,3 de Monchique e temos estado a receber alimentos, medicamentos, desparasitantes e todo um material de apoio para prestar todos os cuidados aos animais”.

Posto com voluntários no Porto de Lagos

A Câmara realça que existe, também, um posto com voluntários no Porto de Lagos que está a prestar “um apoio crucial e essencial e que tem estado a canalizar toda a ajuda e a fazer a triagem do que vem sendo necessário e urgente. Existem, igualmente, vários grupos de técnicos no terreno”.

Dizem os responsáveis pela autarquia de Monchique que “existem inúmeros voluntários na zona a prestar todos os cuidados e apoio aos animais” e que “nunca foi impedida a presença de voluntários em Monchique, mas sim desaconselhado que fossem para o terreno e para as zonas ardidas, logo perigosas. Esse trabalho de terreno está a ser feito por técnicos e peritos especializados e a prioridade é a segurança de todos, inclusive dos voluntários”.

Assim, quem estiver interessado em prestar apoio nesta área pode enviar um email para monchique@dgav.pt para organização de grupos de trabalho.

Silves

Já o concelho de Silves informa que, a Câmara Municipal de Silves, em conjunto com a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAP Algarve), disponibilizará nos próximos dias rações destinadas à alimentação dos animais provenientes de explorações agrícolas afectadas pelos incêndios da passada semana.

Este será um primeiro apoio e os interessados deverão contactar a autarquia, dando os seguintes dados: nome do agricultor, número de animais, espécie dos animais (se são vacas, ovelhas ou outro tipo de animais) e localização da propriedade agrícola.

Entrega de dados em Silves

O contacto para a entrega destes dados e para a realização do pedido de apoio deverá ser efectuado com Tiago Raposo, secretário do vice-presidente, pelo telemóvel 914 438 750, telefone 282 440 801 ou email tiago.raposo@cm-silves.pt.

Para além disso, iniciou-se hoje mesmo, 13 de Agosto, pela DRAP Algarve — com a colaboração da autarquia e de diversas instituições, nomeadamente a Segurança Social —, o levantamento de quais foram as explorações agrícolas afectadas e dos prejuízos registados.

Avaliação dos prejuízos

“Na equipa que já se encontra no terreno encontra-se, também, o veterinário municipal, que colaborará na avaliação das situações que necessitam de apoio”, frisa a mesma fonte da autarquia de Silves.

A Câmara de Silves realça que a DRAP Algarve “está disponível para prestar esclarecimentos e ajudar no preenchimento das Declarações a todos os agricultores lesados, estando presente um técnico seu nas Juntas de Freguesia das áreas afectadas (Silves, S. Marcos da Serra e SB Messines) das 9h30 às 16 horas.

Haverá, ainda, uma equipa em permanência na Delegação do Barlavento (localizada no Parchal) no horário normal de funcionamento: das 9 horas às 12h30 e das 13h30 às 16h30. Também na Herdade do Patacão, em Faro, os agricultores poderão esclarecer as suas dúvidas.

Definição das medidas de apoio

O processo de levantamento de prejuízos permitirá “uma melhor definição das medidas de apoio a desencadear por parte do Ministério da Agricultura, pelo que as declarações que nesta fase são apresentadas não constituem qualquer candidatura aos apoios que venham a ser disponibilizados”, salientam os responsáveis pela Câmara de Silves.

O processo agora em curso, esclarece a DRAP Algarve, não dispensa a apresentação posterior de uma candidatura formal.

A fase seguinte deste processo é a definição das medidas de apoio e a abertura oficial do processo de candidaturas, na qual o Governo se encontra já a trabalhar, com o objectivo de dar início ao processo de recuperação o mais rapidamente possível.

Levantamento de prejuízos

O processo de levantamento de prejuízos “é essencial para a definição das medidas de apoio a desencadear por parte do Ministério da Agricultura, pelo que as declarações que nesta fase são apresentadas não constituem qualquer candidatura aos apoios que venham a ser disponibilizados. O processo agora em curso não dispensa a apresentação posterior de uma candidatura formal”, frisa o Ministério liderado por Capoulas Santos.

A fase seguinte deste processo é a definição das medidas de apoio e a abertura oficial do processo de candidaturas, na qual o Governo se encontra “já a trabalhar, com o objectivo de dar início ao processo de recuperação o mais rapidamente possível”.

Como apoiar e ser apoiado:

  • Câmara Municipal de Monchique: abertas linhas de apoio às vítimas dos incêndios. A rede só agora começa a ficar restabelecida e os contactos são 927 244 342 / 925 527 586.
  • DRAP Algarve “está disponível para prestar esclarecimentos e ajudar no preenchimento das Declarações a todos os agricultores lesados, estando presente um técnico seu nas Juntas de Freguesia das áreas afectadas (Silves, S. Marcos da Serra e SB Messines) das 9h30 às 16 horas. Haverá, ainda, uma equipa em permanência na Delegação do Barlavento (localizada no Parchal) no horário normal de funcionamento: das 9 horas às 12h30 e das 13h30 às 16h30.
  • Câmara Municipal de Silves: contacto para a entrega destes dados e para a realização do pedido de apoio deverá ser efectuado com Tiago Raposo, secretário do vice-presidente, pelo telemóvel 914 438 750, telefone 282 440 801 ou email tiago.raposo@cm-silves.pt.
  • Para mais informações pode contactar a DRAP Algarve através do e-mail gabdirector@drapalg.min-agricultura.pt ou do telefone 289 870 700.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

GNR apreende 287 quilos de pescado por fuga à lota em Quarteira. Coima até 44.891 euros

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR — Guarda Nacional Republicana, através do Sub-destacamento de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.