Início / Agricultura / Estação de avisos agrícolas de Leiria alerta para míldio, oídio e traça da uva

Estação de avisos agrícolas de Leiria alerta para míldio, oídio e traça da uva

A Estação de Avisos Agrícolas de Leiria alerta, na sua Circular nº 09 /2018, para as possibilidades de doenças na vinha, nomeadamente míldio, oídio e traça da uva. Mas, alerta também para o pedrado e bichado da macieira e a Psila Africana dos Citrinos.

Segundo a Circular daquela Estação de avisos, relativamente ao míldio na vinha, as infecções provenientes das chuvas ocorridas dias 2 e 3 de Julho ficaram cobertas pelo tratamento dado na última circular de aviso.

Contudo, as condições meteorológicas agravaram-se, com ocorrência de chuva no dia 10, mantendo-se o tempo, desde então, muito favorável ao desenvolvimento desta doença, devido às fortes humidades sentidas que obrigam as folhas a permanecerem molhadas o suficiente para causarem novas infecções.

Tratamento com fungicida de acção preventiva e curativa

Prevendo-se ainda que o tempo continue instável até final desta semana, aquela Estação de Avisos recomenda  tratamento com fungicida de acção preventiva e curativa, podendo conter cobre na sua composição.

Este tratamento deve ser realizado o mais rapidamente possível de forma a proteger a vinha, não só da instabilidade do tempo que se tem feito sentir desde o dia 10, como da que ainda se prevê para esta semana.

Oídio

Quanto ao oídio, diz a Circular que as condições meteorológicas têm-se mantido muito favoráveis à instalação e desenvolvimento desta doença, registando-se focos sobretudo em vinhas com grande vigor vegetativo. Deve continuar a manter a vinha protegida até ao início do pintor. Aplique um anti-oídio à calda do míldio. Em vinhas onde não existam sintomas, tenha o cuidado de alternar as famílias químicas dos produtos.

Em vinhas com sintomas de oídio, deve aplicar produto à base de enxofre ou metildinocape, evitando sempre as temperaturas acima dos 32ºC, devido aos riscos de fitotoxicidade.

Traça da uva

Já no que diz respeito à traça da uva, está a decorrer o voo da segunda geração desta traça. “Recomendamos a realização da estimativa do risco a partir da observação de 100 cachos e caso observe 1 a 10% de cachos com posturas nos bagos (ovos brilham ao sol), ou perfurações, deverá efectuar um tratamento com um insecticida homologado”, frisa a Circular.

“Continuamos a insistir nas despontas, desparras, desladroamentos, desfolhas às quais acrescentamos o embardamento que consiste em orientar e fixar os pâmpanos para o arame simples ou duplo imediatamente a seguir ao arame de condução”, refere a Estação de Avisos de Leiria.

E acrescenta ser “de extrema importância que esta operação se realize num espaço de tempo tão curto quanto possível, já que o crescimento ainda rápido, dificulta a passagem de máquinas nas entrelinhas para realizar os tratamentos, agravando o risco de infecções”.

Macieiras

Na cultura da macieira, a Circular alerta para o pedrado e bichado.

No que diz respeito ao pedrado, aquela Estação afirma que face à instabilidade do tempo que se tem mantido ao longo deste Verão com fortes humidades, deve renovar de imediato o tratamento aconselhado na última circular de aviso.

Este tratamento irá travar não só o desenvolvimento das manchas provenientes das chuvas de 10 de Julho, como proteger de novas infecções, caso se confirme o agravamento das condições meteorológicas previstas.

Bichado

Quanto ao bichado, “constatámos aumento de capturas desta praga nos nossos postos de observação”, alerta a Estação.

As temperaturas crepusculares estão favoráveis à realização de posturas, pelo que a Circular recomenda vigilância, procedendo à observação de 1000 frutos (20 frutos em 50 árvores) e tratar caso observe 5 a 10 frutos bichados com produto de acção larvicida.

Psila Africana dos Citrinos

Nos citrinos, o alerta vai para a Psila Africana dos Citrinos. No seguimento da informação veiculada na última circular de aviso, para esta praga, a Estação de Leiria comunica que, na sequência de prospecções realizadas, foram detectados novos focos de infecção nos concelhos de Aveiro, Server do Vouga, Mealhada e Oliveira de Bairro.

Neste sentido, a DGAV actualizou o mapa bem como a lista de Freguesias que integram total ou parcialmente a zona demarcada respeitante a Trioza erytreae.

Caso detecte sintomas suspeitos nos seus citrinos, comunique de imediato à Estação de Avisos de Leiria.

pode ler a Circular completa aqui.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

ANUGA 2019: Água Monchique na maior feira do sector agro-alimentar

A Água Monchique esteve presente naquela que é considerada a maior e mais importante feira …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.