Início / Agricultura / Área de cereais de Inverno mantém tendência de decréscimo

Área de cereais de Inverno mantém tendência de decréscimo

A área de cereais de Inverno mantém tendência de decréscimo, segundo as previsões agrícolas do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 31 de Janeiro.

Foram concluídos os trabalhos de sementeira dos cereais de inverno ao longo do mês de Janeiro, que decorreram sem contratempos.

Observam-se reduções, face a 2018, das áreas instaladas de trigo mole, triticale e cevada (-5%) e de trigo duro (-10%). No centeio e na aveia, as previsões apontam para a manutenção da área.

Em queda há 6 anos

De referir que este decréscimo global da área de cereais de Inverno (-3%, face a 2018) mantém a tendência observada nos últimos seis anos, posicionando esta campanha como a que regista menor área desde a adesão de Portugal à União Europeia (cerca de 1/8 da área observada em 1986).

Boas perspectivas de produtividade para a aveia

Acrescentam os técnicos do INE que as germinações dos cereais para grão foram boas e as searas encontram-se na fase do afilhamento.

Os povoamentos são regulares e o desenvolvimento vegetativo tem sido normal, exceptuando nas searas que se encontram instaladas em solos com menor capacidade de retenção de água, que já manifestam sintomas de défice hídrico (situação ainda perfeitamente revertível e sem carácter definitivo e/ou determinante no potencial produtivo das culturas).

Não se verificaram limitações à realização das adubações de cobertura em tempo oportuno, aguardando-se apenas a ocorrência de precipitação para que a eficácia da sua aplicação seja efectiva.

Na aveia, cereal mais precoce, as previsões apontam para a manutenção dos níveis de produtividade alcançados na campanha anterior (8% acima da média do último quinquénio).

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Abertas inscrições para Formação Técnica de Cereais

A Anpoc — Associação Nacional de Produtores de Proteaginosas, Oleaginosas e Cereais, o INIAV – …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.