Início / Featured / Navio da República Portuguesa Mondego inicia missão de patrulha e vigilância na Madeira

Navio da República Portuguesa Mondego inicia missão de patrulha e vigilância na Madeira

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O navio patrulha Mondego atracou esta manhã, de 23 de Março, no Porto Santo para dar início a mais uma missão na Zona Marítima da Madeira, com o objectivo de guarnecer o seu Dispositivo Naval Padrão até ao dia 11 de Junho.

​​Comandado pelo primeiro-tenente Lopes Monteiro e a navegar com uma guarnição de 27 militares, o navio irá realizar “acções de patrulha e vigilância e garantir a segurança dos espaços sob jurisdição do Comando de Zona Marítima da Madeira”, explica um comunicado da Marinha Portuguesa.

Adianta o mesmo comunicado que aquele Navio da República Portuguesa (NRP) terá, ainda, como função “garantir a rendição dos vigilantes do Instituto das Florestas e Conservação da Natureza (IFCN) e da Polícia Marítima nas ilhas Desertas e Selvagens”.

O NRP Mondego substitui, assim, o NRP Douro que largou esta segunda-feira para a Base Naval de Lisboa. E irá permanecer no ​Porto Santo até ao dia 25 de Março, quando iniciará o trânsito com destino ao porto do Funchal.

NRP Mondego

O NRP Mondego é o terceiro navio da classe Tejo e foi aumentado ao efectivo dos navios da Marinha Portuguesa em 5 de Maio de 2016. Integra um conjunto de cinco navios adquiridos à Marinha Real Dinamarquesa substituindo os navios de patrulha costeira da classe Cacine, que operam há mais de 45 anos ao serviço de Portugal.

O NRP Mondego, (ex-Glenten – P550) esteve ao serviço da Marinha Real Dinamarquesa entre Fevereiro de 1992 e Outubro de 2010, tendo sido posteriormente vendido a Portugal em Outubro de 2014 e rebaptizado com o nome de NRP Mondego (P592).

Após um período de reconfiguração e modernização com recurso à indústria nacional, nos estaleiros navais do Arsenal do Alfeite, o NRP Mondego integrou o dispositivo naval do Sistema de Forças e encontra-se apto para desempenhar um vasto leque de missões e tarefas.

Este tipo de navios, de patrulha costeira (NPC), têm como missão principal a de busca e salvamento marítimo e fiscalização marítima, com incidência na faixa costeira continental e do arquipélago da Madeira.

Para além destas missões, o navio presta apoio a diversas entidades onde se inclui a Autoridade Marítima Nacional (AMN), bem como está apto a prestar apoio à população civil em situações de catástrofe, em articulação com as autoridades de protecção civil.

Pode ainda integrar estruturas internacionais, como a agência europeia FRONTEX de controlo da fronteira externa da União Europeia.​

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

Petição contra a alteração da idade para assistir ou participar em touradas está a chegar aos 18 mil subscritores

Partilhar              O Conselho de Ministros aprovou no dia 14 de Outubro o decreto-lei que altera a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.