Início / Empresas / Consumo energético próprio ou consumo energético da rede: quais as diferenças?

Consumo energético próprio ou consumo energético da rede: quais as diferenças?

A energia é um factor muito importante quando pensamos em comprar ou alugar uma casa. O certificado energético dita a qualidade da energia que podemos consumir em casa, e o mesmo se aplica a armazéns, escritórios e qualquer outro local que precisa de ser alimentado com energia. O facto é que à medida que tudo evolui em termos tecnológicos, também a forma de obtermos energia se mantém em constante evolução.

Essa evolução é evidente em outro tipo de situações como os carros eléctricos, as bicicletas eléctricas e outras coisas que há 20 anos não eram como são hoje. A tecnologia tem, e ainda bem, evoluído positivamente no sentido de tornar cada vez menos complexo o processo de criação deste tipo de veículos, e ao mesmo tempo tem permitido a algumas pessoas a venda de energia captada nas suas casas ou terrenos através de volta à rede, contribuindo assim para um mundo mais sustentável. 

O que é a energia “da rede”?

Quando nos referimos a receber ou vender energia da rede, estamos a falar de energia distribuída pela E-REDES a nível nacional, que depois é facturada por vários comercializadores autorizados no nosso país ao consumidor final e essa energia pode ser obtida através das fontes normais como barragens ou pode também ser vendida pelos particulares à E-REDES através do seu consumo próprio solar, uma vez que a distribuidora pode escolher comprar energia a particulares que a possam vender. 

O consumo energético próprio

Esta denominação de consumo energético próprio está relacionada com o facto de os particulares, na maioria dos casos com moradias, poderem captar energia através do sol, com painéis solares, e fazer o seu próprio consumo sem pedir ou ser facturado qualquer tipo de energia à rede de distribuição nacional. No entanto, quando a energia que nós temos é suficiente para o nosso local, podemos vender a energia que sobra directamente à rede pública, fazendo algum dinheiro através dessa venda e tendo assim uma fonte de rendimento adicional.

Sabemos que por vezes a instalação de painéis solares não é algo que seja barato, no entanto ao longo dos anos após a sua instalação o investimento começa a compensar, por isso sabendo de antemão que o painel solar tem uma longa vida, quanto mais os anos passam, mais o investimento conversa. 

Como posso ter painéis solares?

Em primeiro lugar é necessário ficar a conhecer quais são os apoios existentes, nomeadamente o Fundo Ambiental, o Programa Vale Eficiência e o Casa Eléctrica 2020. Estes são os três tipos de incentivos financeiros oferecidos com dinheiros públicos para ter energia própria em sua casa, além do IVA a 13% para a compra de painéis solares em vez dos habituais 23%.

Para ter painéis solares idealmente deverá ter uma moradia onde possa colocar os painéis para estes poderem, no telhado, absorver a energia solar e transformá-la em energia que possa ser depois consumida por si e até vendida à E-REDES.

Existem outras implementações que podem ser feitas, nomeadamente com postes, mas que eficiência é reduzida, sendo que colocar por cima da sua casa os painéis solares é sem dúvida o mais utilizado.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Câmara de Santarém atribui Medalha de Ouro ao CNEMA

Partilhar              A Câmara de Santarém condecorou hoje, 14 de Junho, o CNEMA — Centro Nacional de …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.