Início / Agricultura / Vindimas: Adega do Monte Branco convida a pôr mãos à obra e pés no mosto

Vindimas: Adega do Monte Branco convida a pôr mãos à obra e pés no mosto

A Adega do Monte Branco (AMB), em Estremoz, é um projecto do enólogo Luís Louro que, em parceria com Inês Capão, produz vinhos elegantes, frescos, com carácter e personalidade, sempre com castas portuguesas. E pode ir ajudar a fazê-los.

A equipa de enoturismo da AMB preparou um programa diverso mas a responsável, Mariana Monteiro, salienta que “estamos de portas e mentes abertas para receber e elaborar programas à medida dos desejos dos nossos visitantes”.

O programa organizado inclui uma visita de dia inteiro, com vários momentos:

  • Meet and greet our winemaker: recepção e boas-vindas à Adega pelo enólogo e início do programa;
  • Passeio a pé pela vinha: caminhada pelas vinhas onde é possível ter contacto com as plantas, conhecer as castas e ter a oportunidade de vindima;
  • Adega e cave de barricas: visita às instalações da adega onde decorrem os trabalhos de vindima passando pela cave de barricas;
  • Participar nos trabalhos: poderá fazer “parte da equipa”, acompanhando de perto as actividades na adega;
  • Piquenique e prova de vinhos: este é o momento de pausa. Um piquenique nas vinhas, com petiscos acompanhados pelos vinhos da Adega do Monte Branco.

Até ao lavar dos cestos é vindima

O programa de vindima da Adega do Monte Branco começou no dia 26 de Agosto e termina a 4 de Outubro, tendo um custo de 85€ por pessoa, com um mínimo de quatro participantes. Inclui as visitas, acompanhamento das actividades, degustação de quatro vinhos e piquenique (menu de tapas de enchidos, queijos, selecção de saladas e pão).

 

A marcação é obrigatória, com uma antecedência mínima de três dias. As actividades serão acompanhadas por um guia. A presença do enólogo acontece apenas no início do programa.

Projecto criado aos 23 anos

Luís Louro nasceu no Alentejo e os vinhos entram na sua vida através do pai, produtor da Quinta do Mouro, com quem trabalhou desde muito cedo. Depois de um estágio na Califórnia decide avançar com um projecto próprio, a solo, com apenas 23 anos, sem dinheiro, adega ou vinhas, mas com vontade e alento.

Em 2004, funda a Adega do Monte Branco, apostando numa interpretação muito própria do Alentejo: mostrar que na região se podem fazer vinhos elegantes, frescos, com carácter e personalidade, com castas portuguesas. Em 2008, Inês Capão junta-se ao projecto.

Hoje a Adega do Monte Branco tem 34 hectares de vinha, em solo calcários e de xisto e “a procura pelo equilíbrio perfeito entre cada casta e o seu terroir, é o que define os nossos vinhos. Vinhos encorpados, com frescura marcante e excelente equilíbrio”, diz Luís Louro.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Empresa sueca procura produtores de drones aéreos e marítimos

Um dos principais fornecedores suecos de soluções de infra-estrutura marítima pretende usar drones operados remotamente …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.