Início / Agenda / Universidade de Évora leva seminário sobre irrigação fotovoltaica de alta potência a Alter do Chão

Universidade de Évora leva seminário sobre irrigação fotovoltaica de alta potência a Alter do Chão

A Cátedra Energias Renováveis da Universidade de Évora está a organizar o Seminário sobre Irrigação Fotovoltaica de Alta Potência, a realizar-se no próximo dia 22 de Setembro, no Cineteatro de Alter do Chão, com início às 9h30. O registo de participantes será feito até às 12 horas seguindo-se uma visita técnica guiada ao sistema demonstrador instalado na Herdade de S. Barnabé e Vale de Canelas do Grupo Elaia.

A visita técnica mostrará as instalações de bombeamento fotovoltaico para irrigação do projecto europeu Maslowaten, do qual a Universidade de Évora é parceira.

A participação neste evento é gratuita, mas com pré-inscrição obrigatória, aqui.

O consórcio Maslowaten é composto por três universidades, sete empresas e três instituições de irrigação de cinco países diferentes. O objectivo é promover uma nova solução tecnológica que permita uma poupança de 30% de água comparativamente aos sistemas tradicionais, a utilização de 100% de energia vinda de renováveis e poupança entre 50% a 75% com custos de irrigação. Tudo isto através da gestão de bombagem fotovoltaica de alta-potência integrada com sistemas de irrigação de baixo consumo de água e utilização de tecnologias de informação e comunicação e automatismos de técnicas de irrigação de precisão.

Sistema do Grupo Elaia

Em Alter do Chão, o Grupo Elaia conta com um sistema de irrigação híbrida fotovoltaica-diesel, com uma potência de 140 kWp, para a cultura de 200 hectares de olival. Faz uma rega gota-a-gota a uma pressão e caudal constantes.

O objectivo foi aproveitar ao máximo o fornecimento fotovoltaico, permitindo bombear quase 11 horas com o fotovoltaico e as restantes 3 horas com o diesel.

O projecto de Alter do Chão conta com três modos de funcionamento:

  • Modo “fotovoltaico apenas”: o qual funciona a maior parte do dia. Em que duas bombas Caprari serão alimentadas exclusivamente pelo gerador fotovoltaico.
  • Modo “hibrido fotovoltaico-diesel”: que funciona ao amanhecer e/ou entardecer assim como quando ocorram passagens de nuvens. Uma bomba alimenta-se com a potência fotovoltaica disponível e outro com o grupo diesel até se alcançar a pressão de bombeamento necessária.
  • Modo “diesel apenas”: este utiliza-se apenas nas 3 horas do dia em que se podemos bombear com o sistema fotovoltaico ou em dias muito nublados. Neste caso, duas bombas da Caprari são alimentadas pelo gerador diesel.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Lisboa, Alentejo e Algarve. Portugal 2020 tem candidaturas abertas para apoio à inovação

A entidade gestora do Portugal 2020 informa que está aberto o Aviso para os Programas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.