Início / Agricultura / Sabe quais as boas práticas de bem-estar na produção de ovinos? Veja aqui

Sabe quais as boas práticas de bem-estar na produção de ovinos? Veja aqui

A União de Cooperativas de Agrupamentos de Defesa Sanitária de Entre Douro e Minho (UCADESA) elaborou, em colaboração com a UTAD e a DGAV – Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, um manual de boas práticas em bem-estar Animal, orientado para a espécie ovina.

Aqueles responsáveis pretendem que o mesmo “possa contribuir para a sensibilização e aplicação de boas práticas na produção de ovinos, sendo uma ferramenta útil para técnicos, produtores, tratadores e transportadores de animais desta espécie“.

A UCADESA considera “fundamental, actualizar a informação disponível sobre esta temática pela importância que esta espécie tem nos sistemas de produção pecuária da região e do País”.

Avaliação do bem-estar dos animais

Explica o Manual que, na última década, de forma global mas com particular dinamismo na União Europeia, têm sido desenvolvidas políticas e projectos que visam a avaliação do bem-estar dos animais de produção. Um exemplo marcante é dado pelo projecto Welfare Quality que propôs e desenvolveu ferramentas cientificamente fundamentadas para avaliar o bem-estar animal de galinhas, suínos e bovinos.

Mais tarde, e seguindo a mesma estrutura, foram desenvolvidos no projecto AWIN (Animal Welfare Indicators) protocolos para ovinos, caprinos, equinos, burros e perus. Estes protocolos combinam, de forma acessível e compreensível, o conhecimento científico existente com estratégias práticas para melhorar o bem-estar dos animais em ambiente de produção.

Protocolos

Como o bem-estar é um conceito multidimensional, acrescenta o documento, foram identificados nestes protocolos quatro princípios básicos relacionados com a alimentação e abeberamento, o conforto, a saúde e a possibilidade de realização do reportório de comportamentos de cada espécie.

Estes princípios que decorrem do conceito das 5 liberdades (manter os animais livres de fome e sede; de desconforto; de dor, ferimentos e doença; de medo e angústia e que possam expressar o seu comportamento normal) são combinados com 12 critérios que reflectem o que é importante para os animais, conforme é entendido à luz do conhecimento científico.

Pode consultar o manual completo aqui.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Governo dos Açores desafia agricultores a diminuir a dependência dos apoios

O director Regional da Agricultura afirmou, na ilha Terceira, que os agricultores devem apostar, cada …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.