Início / Agricultura / Quinta de Lourosa em Lisboa a apresentar as novas colheitas

Quinta de Lourosa em Lisboa a apresentar as novas colheitas

A Quinta de Lourosa, localizada na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, no concelho de Lousada, foi a Lisboa mostrar as suas novas colheitas. Recentemente chegados ao mercado, os vinhos Quinta de Lourosa Arinto e Loureiro 2016 e Quinta de Lourosa Alvarinho 2015 foram oficialmente apresentados no passado dia 30 de Março, num jantar realizado no Wine Lover Bairro Alto, restaurante e wine bar, em Lisboa. O resultado do trabalho de pai e filha, dedicado à vinicultura.

Esta iniciativa foi, também, uma forma de assinalar o crescimento de vendas dos vinhos Quinta de Lourosa em 50% (comparativamente com 2015), especificamente no Bairro Alto e no concelho de Lisboa. Em 2016, foram vendidas na capital de Portugal mais de 20 mil garrafas Quinta de Lourosa.

“Apego pela terra, paixão pelo vinho e amor pela família” são os valores que moveram Rogério de Castro, professor catedrático de viticultura e grande impulsionador dos estudos sobre as vinhas em Portugal, a fazer renascer aquela casa, produtora de vinhos Regional Minho e DOC Vinho Verde. Nesta missão, Joana de Castro, filha e enóloga, tem um papel igualmente fundamental. Juntos refazem a Quinta de Lourosa e ousadas experiências vitivinícolas.

Rogério de Castro salienta “na Quinta de Lourosa, a cultura da vinha é também uma cultura de valores”, acrescentando que a Quinta “não é apenas uma empresa de vinhos: é o fruto, simultaneamente fresco e maduro, de uma ciência e de uma paixão”. Do portefólio fazem parte vinhos brancos, rosados, tintos, espumantes.

Os vinhos

O Quinta de Lourosa DOC Vinho Verde branco 2016, foi elaborado com as castas Arinto e Loureiro. No aroma revela notas de frutos citrinos e flores. Mantém o perfil frutado e fresco. É uma opção para acompanhar todo o tipo de peixes, mariscos e carnes brancas. No jantar de apresentação, acompanhou patê de atum, queijo de alho e ervas, alheira à Brás. Foram produzidas 60 mil garrafas, sendo o preço recomendado 4 euros.

Já o Quinta de Lourosa Regional Minho Alvarinho 2015 fez fermentação e estágio parcial em barricas de carvalho novas durante seis meses. Na prova revela um aroma intenso e complexo a frutos citrinos em conjugação com um traço mineral, envolvido em notas tostadas. No paladar é complexo e delicado, um vinho com carácter e acidez firme. Este Quinta de Lourosa Alvarinho 2015 foi harmonizado com uma açorda de gambas e acompanha bem peixe fresco gordo, mariscos, cataplanas, risotos de peixe, carnes brancas, cozinha japonesa, cozinha indiana e variadíssimos pratos de bacalhau. Foram produzidas 10 mil garrafas e apresenta um preço recomendado de 8,5 euros.

Por fim, chegou o Vinha do Avô, um vinho especial elaborado unicamente a partir da casta Arinto e que é fruto do amor pela natureza e pela vinha, sendo uma homenagem dos netos (Mariana, Francisco e Mafalda) ao avô, Rogério de Castro. As uvas foram seleccionadas à mão a partir de uma vinha com cerca de 33 anos, que tem algumas particularidades: é a primeira vinha de selecção clonal da casta Arinto em Portugal; é a primeira vinha com sistema de condução Lys; é a primeira grande vinha de encosta “ao alto” na Região Demarcada dos Vinhos Verdes; e foi desta vinha que nasceu o primeiro vinho engarrafado da Quinta de Lourosa, em 1995. Este Vinha do Avô resulta, assim, de um lote seleccionado de uvas Arinto desta vinha especial e da conjugação das colheitas de 2013, 2014 e 2015, tendo fermentado e estagiado em barricas de carvalho francês usado. Na prova apresenta cor amarela, aroma de maçã madura. Foi acompanhado com queijo de cabra e compota de abóbora, tarde de amêndoa e toucinho do céu. O Vinha do Avô foi apresentado em 2016, foram produzidas 1.500 garrafas magnum e está disponível em pontos de venda seleccionados por 30 euros.

A Quinta

Actualmente, com cerca de 27 hectares, a Quinta de Lourosa distingue-se pelo inovador sistema de condução em Lys, que favorece a captação solar e a gestação de uvas sãs e maduras, culminando em vinhos equilibrados, frescos e aromáticos, na melhor tradição dos Vinhos Verdes. A plantação de vinhas “fez-se em puro respeito pela paisagem e pelo solo”, garantem os produtores. E salientam que “foram recuperados ancestrais processos de rega e desenvolvidas técnicas mais racionais e ecológicas na aplicação de pesticidas”.

A Quinta de Lourosa, para além da produção de vinhos e espumantes de qualidade é, também, um destino de eleição para amantes do vinho. Tem uma capela que remonta ao séc. XVII e uma casa com beiral do séc. XVIII.

Destino para férias em família, refúgio para um fim-de-semana a dois ou estância para retiros profissionais, oferece visitas guiadas às vinhas e adega, provas de vinhos e pacotes turísticos onde estão presentes a gastronomia tradicional e a cozinha criativa, o artesanato e lugares de relevo histórico e cultural.

As instalações contemplam seis quartos com casa de banho privativa, um apartamento com kitchenette, piscina, campo de ténis, salão de jogos, parque infantil, sala de reuniões, sala de provas, loja de vinhos e produtos gourmet.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Continental anuncia garantia até 10 anos para pneus agrícolas nos mercados EMEA

A Continental anunciou a introdução de uma garantia para pneus agrícolas nos mercados EMEA (Europa, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.