Início / Agricultura / Protocolo de financiamento para o Programa Nacional de Regadios está assinado

Protocolo de financiamento para o Programa Nacional de Regadios está assinado

O ministro das Finanças, Mário Centeno, ratificou esta sexta-feira, 13 de Abril, a assinatura de um empréstimo de 200 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento (BEI) e de um outro empréstimo de 80 milhões de euros do Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa (CEB) para o financiamento do Programa Nacional de Regadios.

A cerimónia contou com a participação do ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, do vice-presidente do BEI, Andrew McDowell, e da vice-Governadora do CEB, Rosa María Sánchez-Yebra.

Investimento global de 534 milhões

Este financiamento será integrado num investimento global de 534 milhões de euros, que serão aplicados até 2022 numa área total de intervenção de 95 mil hectares, dos quais cerca de 55 mil correspondem a novas áreas.

O Programa Nacional de Regadios visa promover o desenvolvimento económico em áreas rurais, promover o reforço da segurança alimentar e aumentar a resiliência do território face aos efeitos das alterações climáticas.

Assim, os empréstimos concedidos financiarão projectos destinados a criar novas áreas de regadio, a expandir e modernizar as áreas de regadio existentes e a renovar as infraestruturas de irrigação com sistemas de controlo mais inteligentes e eficientes. “Estes investimentos reduzirão significativamente as perdas de água ao longo dos sistemas de transporte e distribuição de água para rega”, garante fonte do Ministério da Agricultura.

Além disso, a expansão das áreas irrigadas “permitirá o aumento e a diversificação de culturas, reforçando a produção em sub-sectores como o azeite, o vinho, os cereais e os hortofrutícolas, entre outros”, acrescenta a mesma fonte.

Crescimento das exportações

Esta transformação “promoverá o aumento da produtividade das explorações agrícolas, gerará emprego qualificado no sector agro-alimentar e contribuirá para alimentar a dinâmica de crescimento das exportações”, realça o Gabinete de Capoulas Santos.

O projecto contribuirá para o aumento da coesão territorial, invertendo a tendência de desertificação física e o despovoamento, para alavancar uma estratégia nacional mais eficaz de combate aos incêndios e para relançar uma nova dinâmica económica.

Os ministros das Finanças e da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural salientam o empenho dos serviços da Administração Pública que estiveram envolvidos nas negociações que resultaram na assinatura deste instrumento.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Bayer publica online mais de 300 resumos de estudo sobre segurança do glifosato

A Bayer marcou o primeiro aniversário da sua Iniciativa de Transparência, destinada a aumentar a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.