Início / Featured / Maio regista queda nas capturas das principais espécies de peixes marinhos

Maio regista queda nas capturas das principais espécies de peixes marinhos

O volume de capturas de pescado em Portugal, em Abril de 2018, diminuiu 30,8% (-46,3% em Março), resultante da menor captura de peixes marinhos. Só a captura de sardinha caiu 92% devido ao período de interdição de captura desta espécie no continente, entre 10 de Janeiro de 2018 e 30 de Abril.

Às 6.185 toneladas de pescado correspondeu uma receita de 19.911 mil euros, valor que representa um decréscimo de 11,2% (-22,4% em Março), refere o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas — Junho 2018, do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Regiões Autónomas

Na Região Autónoma dos Açores foram capturadas 269 toneladas de pescado, ou seja um aumento de 9,0% (-17,0% em Março), devido principalmente à maior captura de atuns, carapau negrão e cavala.

Na Região Autónoma da Madeira foram capturadas 547 toneladas, que representaram um decréscimo de 55,8% (-11,0% em Março), motivado pela menor captura de atuns e peixe-espada.

O volume de peixes marinhos a nível nacional (4.834 toneladas) diminuiu 33% (-47,3% em Março).

Menos sardinha, cavala e atum

Para esta situação contribuiu sobretudo o menor volume de captura de cavala (-64,0%), com apenas 533 toneladas. Diminuiu também a captura de carapau (-18,5%), com 1.805 toneladas, atuns (-58,2%), com 486 toneladas, peixe-espada (-45,5%), com 212 toneladas, pescadas (-19,4%), com 98 toneladas e sardinha (-92,0%), com 2 toneladas capturadas exclusivamente nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira.

Esta situação resulta do Despacho n.º 532-A/2018, que estabelece um período de interdição de captura desta espécie no continente, a partir de 10 de Janeiro de 2018 até ao dia 30 de Abril de 2018. O despacho n.º 4334-A/2018 de 30 de Abril de 2018 alongou esta interdição até 20 de maio de 2018, tendo estabelecido também limites de captura até 31 de Julho de 2018.

Crustáceos: mais 42,8%

O volume de crustáceos (139 toneladas) aumentou 42,8% (+1,3% em Março), devido sobretudo ao maior volume de gamba branca e caranguejo.

Pelo contrário, os moluscos (1 183 toneladas) apresentaram um decréscimo de 25,8% (-45,5% em Março), sendo de destacar uma menor captura de mexilhões, polvo, amêijoas e choco.

O volume de peixes marinhos a nível nacional (4.834 toneladas) diminuiu 33% (-47,3% em Março).

Preço médio sobe 28%

O preço médio do pescado descarregado foi 3,08 euros/kg, ou seja, um aumento de 28,0% (+46,3% em Março). O preço médio dos peixes marinhos (2,41 euros/kg) teve igualmente um aumento de 23,6%.

O preço dos crustáceos (10,80 euros/kg) diminuiu 35,2%, devido principalmente ao menor preço da gamba branca (11,34 euros/kg em 2018 e 18,26 euros/kg em 2017); o preço médio dos moluscos (5,38 euros/kg) aumentou 36,5%, devido ao maior preço atingido por espécies como o polvo, o choco e as amêijoas.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Siro e Cerealto unem-se. Cerealto Siro Foods vai produzir marcas para terceiros

A Siro e a multinacional Cerealto assinaram um acordo para a integração de ambas as …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.