Início / Agricultura / Macronutrientes na vida das plantas: perceba quando estão em carência ou em excesso

Macronutrientes na vida das plantas: perceba quando estão em carência ou em excesso

Artigo de opinião de Rosa Moreira, Eng.ª Agrónoma, promotora do site A Cientista Agrícola

Entenda o porquê dos macronutrientes serem tão importantes!

A nutrição vegetal pode ser entendida  conjunto de fenómenos através dos quais a planta retira do meio que a rodeia, as substâncias que são essenciais ao crescimento e desenvolvimento das culturas.
Penso que é fácil todos entendermos a importância  que os nutrientes desempenham nas plantas, uma vez que, são responsáveis por aumentar a produtividade das culturas.Os nutrientes podem classificar-se como: macronutrientes (nutrientes principais) e micronutrientes (nutrientes secundários).

É importante salientar que, apesar de todos os nutrientes terem importância para as plantas, existem nutrientes que são absorvidos em grandes quantidades (macronutrientes) e outros em menores quantidades (micronutrientes).

Como macronutrientes devemos considerar:

  • azoto;
  • fósforo;
  • potássio

macronutrientes carências nutricionais

Azoto: quais as principais funções?

O azoto é responsável por dar cor verdes às plantas e intensifica o crescimento rápido das mesmas. Por outro lado, o azoto contribui para aumentar a produtividade e o afilhamento dos cereais. O azoto é um dos nutrientes exigidos em maior quantidade pela maioria das plantas.  O metabolismo do azoto é um factor essencial  no crescimento das folhas (vegetativo), no crescimento e desenvolvimento das raízes, absorção de outros nutrientes, entre outras funções.

Quais os principais sintomas de carência nutricional de azoto nas plantas?

Um dos principais sintomas de carência nutricional de azoto é a perda de cor das folhas ( as folhas mais velhas ficam amareladas). Por outro lado, quando existe falta de azoto as plantas as plantas ficam mais fracas, os seus caules ficam atrofiados e a floração não é tão significativa (floração reduzida).

Quais os principais sintomas de excesso de azoto nas plantas?

Quando existe excesso de azoto, a floração nas plantas é atrasada e as plantas ficam débeis e com maior tendência à acama. Por outro lado, as plantas tem menor resistência a problemas fitossanitários, nomeadamente doenças.  A maturação das plantas sofre um retardamento.

macronutrientes carências nutricionais
Exemplo de sintoma de deficiência de azoto nas plantas (perda da cor verde característica). Fonte da imagem:Agrolink

Fósforo: quais as principais funções?

O fósforo é  fundamental  para a saúde geral e vigor de todas as plantas.  Existem alguns factores que ocorrem nas plantas que podem que podem  ser  influenciados por este macronutriente nomeadamente o facto de o fósforo estimular o desenvolvimento da raiz e aumentar a resistência do caule das plantas.

Por outro lado, o fósforo tem como principais funções estimular o desenvolvimento e amadurecimento dos frutos e dar solidez às plantas.  Este nutriente permite estimular também  a floração das plantas.

Quais os principais sintomas de carência nutricional de fósforo nas plantas?

Quando este nutriente se encontra em défice nas plantas, existem alguns sintomas que se sobressaem nomeadamente nas folhas mais velhas. Estas ficam, na periferia, com a cor avermelhada ou purpúrea. As raízes  neste tipo de carência nutricional desenvolvem-se de forma mais fraca e a maturação atrasa-se.  Os frutos  mostram-se assim mais pequenos e pouco desenvolvidos.

Nota: A deficiência de fósforo revela-se a mais difícil de diagnosticar, quando comparada com as deficiências nutricionais em azoto ou potássio. As culturas com estes sintomas de carência não apresentam sintomas óbvios de deficiência de fósforo além do atraso geral da planta durante o crescimento precoce.

Quais os principais sintomas de excesso de fósforo nas plantas?

De facto, são poucos os momentos em que se verifica que  o fósforo está em excesso nas plantas. Quando tal se verifica não deve ter receio uma vez que a sua presença em quantidades maiores acelera a maturação e aumenta a estabilidade dos caules.

macronutrientes carências nutricionais
Carência nutricional de fósforo na cultura do milho. Fonte da imagem:Nutrição de Safras

Potássio: quais as principais funções?

O potássio caracteriza-se por ser um elemento muito móvel nas plantas, e embora não seja um  constituinte de nenhuma molécula orgânica contribui em várias actividades bioquímicas. O potássio é um nutriente que desempenha funções essenciais na  formação de frutos, resistência ao frio e às doenças. Por outro lado, o potássio permite que as plantas resistam melhor à secura, às geadas e às doenças evitando também a acama dos cereais.

Este macronutriente contribui também para o enchimento das sementes e desenvolvimento dos tubérculos, nabos e cenouras.

Quais os principais sintomas de carência nutricional de potássio nas plantas?

Um dos principais sintomas da carência de azoto nas plantas é a mudança de cor das folhas mais velhas, tornando-se mais acastanhadas/amareladas(amarelecimento das margens das folhas interiores). Por outro lado, esta carência nutricional torna as plantas mais fracas/debilitadas e as suas flores e frutos podem ser afectadas.

Quais os principais sintomas de excesso de potássio nas plantas?

Verifica-se que, conjuntamente com a falta de cálcio, o excesso de potássio provoca o aparecimento de ferrugem nos frutos e contribui para a falta de magnésio (e interferir com a absorção do mesmo).

macronutrientes carências nutricionais
Sintomas de deficiência de potássio em plantas. Fonte da imagem: Agrolink

É importante salientar que  muitos dos sinais visuais podem apontar para várias interpretações  e por essa razão é mesmo importante ter um sistema dinâmico e respeitar sempre as recomendações de fertilizações cedidas pelos laboratórios de análises para o efeito.

As carências nutricionais  podem também  aparecer quando as raízes estão saudáveis, podendo muitas vezes o problema dever-se a um desequilíbrio no pH ou na solução nutritiva. Vários outros problemas podem ser originados  pela competição na absorção entre os elementos, uma vez que  um nutriente em excesso  pode bloquear a absorção de outro.

A fertilização deve ser um processo consciente e pensado

O uso indiscriminado de fertilizantes no sector agrícola pode ocasionar uma desregulação de   nutrientes ou  pelo contrário impulsionar o aparecimento de problemas relacionados com  a deficiência de micronutrientes nos sistemas de produção agrícolas.

É fundamental que a fertilização tenha uma grande importância para os agricultores, garantindo que as plantas recebem os nutrientes que necessitam. Em culturas anuais como o milho e a soja,  a deficiência nutricional pode diminuir drasticamente o rendimento final dos grãos e consequentemente o lucro dele obtido. Por outro lado,  as plantas com deficiência de nutrientes podem apresentar menor tolerância a pragas e doenças, aumentando a susceptibilidade a estas. Por essa razão, o uso de macronutrientes nas plantas deve ser bem pensado.

Pode também gostar de ler este artigo: 

Bibliografia:
https://www.nutricaodesafras.com.br/fosforo#essential-role
http://www.ecocenter.pt/disturbios-nutritivos.html
https://www.agrolink.com.br/fertilizantes/potassio_361446.html
Livro do autor Urbano Moreira denominado: “Práticas de Solos”.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

3.ª fase da expansão do Terminal XXI avança com investimento privado de 547 M€

O Ministério do Mar, liderado por Ana Paula Vitorino, informa que foi dado mais “um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.