Início / Agricultura / Insecticidas com lambda-cialotrina têm novas regras. Saiba quais

Insecticidas com lambda-cialotrina têm novas regras. Saiba quais

Os insecticidas com a substância activa lambda-cialotrina têm novos limites máximos de resíduos (LMR). Por isso, a DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária emitiu um esclarecimento, através do Ofício Circular n.º 28/2019.

Trata-se de um insecticida que actua por contacto e ingestão. Não é considerado perigoso para abelhas quando aplicado de acordo com as indicações de utilização. mas, é extremamente perigoso para organismos aquáticos,pelo que não deve ser aplicado em terrenos agrícolas adjacentes a cursos de água.

O esclarecimento da DGAV surge “na circunstância de terem sido recebidos alguns pedidos de esclarecimentos relativamente ao teor do Ofício Circular n.º 25/2018 relativo a Restrições/alterações aos usos de produtos fitofarmacêuticos com base na substância activa lambda-cialotrina, em resultado da revisão dos limites máximos de resíduos (LMR), nomeadamente quanto às práticas agrícolas que ainda se mantêm autorizadas e não expressamente mencionadas no Ofício Circular em causa considera-se pertinente proceder à devida clarificação relativamente a todas as culturas cujas práticas agrícolas continuam autorizadas e que não necessitaram de alteração quando foram publicados os novos LMR”.

Culturas autorizadas

Assim, o último Ofício Circular lista todas as culturas para as quais estão ainda autorizadas as práticas agrícolas associadas à utilização de produtos fitofarmacêuticos contendo lambda-cialotrina.

São as culturas para as quais as práticas agrícolas que constam do rótulo dos respectivos produtos fitofarmacêuticos com base na substância activa se mantêm autorizadas as seguintes:

  • abóbora; agrião; amendoim; beterraba-de-mesa; cana-de açúcar; colza;
  • espinafre (ar livre); nabiça; nabo; nabo de grelo; rabanete; papoila dormideira (sementes para consumo); salsa-de-raíz-grossa;
  • culturas de folha jovem colhidas até à oitava folha verdadeira (baby leaves): alface e ervilheira
  • ervas aromáticas: alecrim e cebolinho
  • bananeira; diospireiro; marmeleiro; nogueira; videira
  • framboesa; mirtilo; amora.

Mantém-se, também em vigor as práticas agrícolas com a formulação em grânulos, para aplicação directa ao solo, à sementeira ou à plantação.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 11 a 17 Novembro 2019

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas As cotações médias nacionais dos novilhos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.