Início / Agricultura / GNR: 100 detidos e 852 identificados por incêndio florestal até 23 de Outubro

GNR: 100 detidos e 852 identificados por incêndio florestal até 23 de Outubro

Os crimes e as ocorrências de incêndio florestal diminuíram este ano. Mas muitos dos incêndios foram provocados por queimadas descontroladas. Ainda ontem, dia 22 de Outubro, no concelho de Trancoso, a GNR deteve um indivíduo de 67 anos, pelo crime de incêndio florestal, devido a uma queima de sobrantes, cujo fogo se descontrolou, acabando por arder uma área total de 4.000 m2 de mato e pinheiros.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) assumiu como “uma das suas prioridades para o presente ano, a prevenção dos incêndios florestais, tendo vindo a desenvolver um esforço significativo através da realização de acções de sensibilização e fiscalização”.

Para este efeito, a GNR, através das suas valências de protecção da natureza e ambiente, territorial, investigação criminal, bem como do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS), adoptou um dispositivo de patrulhamento e vigilância reforçado, com especial incidência nas áreas dos interfaces urbanos florestais, dada a sua maior vulnerabilidade e perigosidade, face à ocorrência de incêndios florestais, explica a Guarda em comunicado.

Defesa da Floresta Contra Incêndios

No período de 1 de Janeiro a 23 de Outubro e no âmbito da Defesa da Floresta Contra Incêndios, a GNR realizou cerca de 46.500 patrulhas, tendo registado os seguintes resultados:

  • 100 detidos pelo crime de incêndio florestal;
  • 852 identificados, suspeitos de terem praticado o crime de incêndio florestal;
  • 5.946 crimes de incêndio florestal (menos 3.156 crimes do que em igual período de 2017);
  • 12.335 ocorrências de incêndio florestal (menos 8.186 do que em igual período de 2017);
  • Mais de 8 mil autos de contra-ordenação.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Continental anuncia garantia até 10 anos para pneus agrícolas nos mercados EMEA

A Continental anunciou a introdução de uma garantia para pneus agrícolas nos mercados EMEA (Europa, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.