Início / Mar / Ambiente / Direcção Regional dos Assuntos do Mar retira 10 toneladas de lixo na Praia de Porto Pim, no Faial

Direcção Regional dos Assuntos do Mar retira 10 toneladas de lixo na Praia de Porto Pim, no Faial

A Direcção Regional dos Assuntos do Mar dos Açores promoveu esta semana a limpeza do enrocamento que protege a entrada Norte da Praia de Porto Pim, na ilha do Faial, que resultou na recolha de 10 toneladas de lixo.

O Director Regional referiu que, “dada a tipologia irregular do enrocamento, esta estrutura é propícia a acumular lixo marinho, que fica aprisionado nos espaços entre os calhaus, tornando a sua remoção manual impossível”.

“Perante a constatação da existência de cada vez mais lixo no local”, afirmou Filipe Porteiro, a Direcção Regional procedeu “ao desmonte do enrocamento, à limpeza do lixo e à recolocação da estrutura”.

Quantidade de lixo muito maior do que se previa

“Após o início dos trabalhos, constatou-se que, debaixo das pedras, a quantidade de lixo era muito maior do que se previa, por observação directa dos espaços intersticiais”, afirmou.

O Director Regional revelou que, no total, foram retiradas cerca de 10 toneladas de lixo, “maioritariamente cabos, redes de pesca de várias tipologias, baldes, caixas, tampas e muitos fragmentos de plástico indiferenciado, entre outros”.

Segundo Filipe Porteiro, esta acção de limpeza contribui para a melhoria das condições de salubridade da Praia de Porto Pim, que, “como é sabido, tem tendência para acumular grandes quantidades de lixo flutuante, transportados por ventos e correntes, dada a configuração fisiográfica da baía em forma de saco, aberta aos ventos dominantes de Sudoeste e de Sul”.

Acção durou três dias

Esta acção de limpeza, que durou três dias e representou um investimento de 3.500 euros, insere-se no Plano de Ação do Lixo Marinho dos Açores (PALMA), contando com o apoio operacional do Parque Natural da Ilha do Faial.

O lixo retirado do enrocamento foi reencaminhado para o Centro de Processamento de Resíduos da ilha.

“Parte significativa do lixo retirado tem origem em frotas locais e frotas que cruzam o mar dos Açores, sendo também proveniente de zonas continentais e insulares remotas em relação ao arquipélago”, referiu Filipe Porteiro.

O Director Regional alertou, por isso, para “a necessidade de todos os utilizadores do espaço marítimo e costeiro melhorarem substancialmente a gestão do lixo produzido, tanto a bordo das embarcações, como na fruição dos espaços junto ao mar”.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

ANUGA 2019: Água Monchique na maior feira do sector agro-alimentar

A Água Monchique esteve presente naquela que é considerada a maior e mais importante feira …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.