Início / Agricultura / Campanha Nacional de Combate à Vespa velutina. 1 M€ para destruir 10.000 ninhos

Campanha Nacional de Combate à Vespa velutina. 1 M€ para destruir 10.000 ninhos

A Campanha Nacional de Combate à Vespa velutina, também conhecida por vespa asiática, foi apresentada no passado dia 5 de Fevereiro, nos Paços do Concelho de Marco de Canaveses, autarquia presidida por Cristina Lasalete Cardoso Vieira.

Uma sessão pública que contou com a participação do ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, do secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, e do secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas.

Ao todo há um milhão de euros, a entregar às autarquias, para combater esta praga que assola os apicultores e que vai permitir a destruição de cerca de 100.000 ninhos de vespa velutina.

“Trata-se de um passo bastante significativo no controlo da Vespa velutina e que estimamos possa vir a contribuir para a redução dos prejuízos causados aos apicultores das regiões onde já se encontra instalada”,afirma fonte institucional da FNAP — Federação Nacional dos Apicultores de Portugal.

 

Manual de Boas Práticas na Destruição de Ninhos

Recentemente, e no âmbito dos trabalhos da Comissão de Acompanhamento da Vespa velutina, foi também editado o Manual de Boas Práticas na Destruição de Ninhos de Vespa velutina.

Esta publicação, já divulgada junto das autarquias e das Organizações de Apicultores, pretende auxiliar a tarefa de eliminação de ninhos, mas também dar resposta a algumas questões que se colocam às entidades e ao pessoal responsável por essa tarefa, nomeadamente no que concerne à eficácia dos vários métodos, à segurança das populações e do pessoal envolvido nas operações de destruição e à adequação (técnica e ambiental) dos diferentes métodos disponíveis – apresentando, por exemplo, uma listagem dos biocidas autorizados para a eliminação desta espécie.

“A eficaz destruição de um ninho de Vespa velutina é a única forma de contribuir para a mitigação dos seus efeitos, logo a única forma de assegurar que os efectivos apícolas são de facto protegidos e salvaguardados”, diz a mesma fonte da FNAP.

Combate à velutina

Segundo o Despacho n.º 1147/2019, assinado pelo secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, a presença da Vespa velutina tem vindo a aumentar no território nacional ao longo dos anos, afectando diversos sectores, em particular o da apicultura, mas também outros, como o agrícola e o florestal, pela diminuição da quantidade de insectos polinizadores e óbvios efeitos que causarão sobre a sustentabilidade dos respectivos ecossistemas, também já ameaçados por outros factores de natureza biótica (doenças, pragas) e mesmo abiótica (alterações climáticas).

“Sendo a Vespa velutina um importante predador de abelhas e de outros insectos polinizadores, a mesma configura -se como uma ameaça ao cumprimento, pelos espaços florestais sensu lato, da imprescindível função ecológica que é a polinização”, acrescenta aquele Despacho publicado em Diário da República a 1 de Fevereiro.

Segundo o documento assinado por Miguel Freitas, de facto, “embora as abelhas melíferas sejam os alvos mais óbvios da Vespa velutina, é igualmente relevante a ameaça por esta provocada a outras espécies de insectos, como as crípticas abelhas silvestres, consideradas das espécies polinizadores mais eficientes”.

Risco para as pessoas

Para o governante, não obstante o combate à Vespa velutina apresentar também importância ao nível da minimização do risco para as pessoas, configura-se como uma intervenção que detém um papel primordial na protecção do recurso endógeno apícola.

“Não menosprezível será igualmente de referir que, actualmente, o combate a esta espécie exótica invasora é efectuado, regra geral, pelos municípios, designadamente por via dos respectivos serviços de protecção civil, na maioria dos casos através dos Gabinetes Técnicos Florestais, recorrendo para o efeito e não raras vezes às suas respectivas equipas de sapadores florestais”, acrescenta o Despacho de Miguel Freitas.

“Na verdade, tem-se vindo a registar um esforço dos municípios na localização e destruição dos ninhos, esforço que é merecedor da criação de um programa de destruição destes ninhos”, afirma o secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural.

Intervenção urgente

Assim, Miguel Freitas considera que “existe neste momento uma necessidade de intervenção urgente, obrigando a que seja encontrada uma solução financeira para apoiar a destruição dos ninhos de Vespa velutina, aproveitando-se a presente época do ano, pelo que o Fundo Florestal Permanente, nos termos regulamentares, está em condições de proceder a um apoio nacional visando um intenso combate a este insecto”.

Assim, importa criar uma solução financeira, inovadora e sem paralelo no combate a esta praga, que se traduz numa campanha nacional de destruição dos ninhos de Vespa velutina, financiada através do Fundo Florestal Permanente (FFP), gerido pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, que será operacionalizada através da atribuição de ajuda forfetária a conceder aos municípios que demonstrem a destruição dos ninhos de Vespa velutina, contribuindo decididamente para a redução do efectivo desta espécie no território nacional, bem como para o controlo da sua dispersão, explica o Despacho, que pode consultar aqui.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

BPI e John Deere renovam parceria para financiamento de máquinas agrícolas

A parceria apoiou, nos últimos cinco anos, a aquisição de 1.734 tractores, num montante global …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.