Início / Agricultura / Bayer põe online resumos dos estudos sobre segurança do glifosato a 7 de Dezembro

Bayer põe online resumos dos estudos sobre segurança do glifosato a 7 de Dezembro

A Bayer anunciou que disponibilizará online, na sua plataforma dedicada à transparência (aqui), os resumos dos seus estudos sobre a segurança do glifosato, já no dia 7 de Dezembro deste ano. Em 2019, serão disponibilizados os estudos de segurança completos.

“Reconhecemos que as pessoas em todo o Mundo querem mais informações sobre o glifosato – e estamos prontos para oferecer acesso aos nossos dados de segurança relacionados com o produto na nossa plataforma de transparência”, disse Liam Condon, membro do conselho de administração da Bayer AG e presidente da Divisão de Ciências da Colheita, em comunicado.

“O nosso compromisso com a transparência continua sendo fundamental para a nossa missão, à medida que avançamos como empresa”, acrescentou Liam Condon salientando que a plataforma de transparência, lançada em 7 de Dezembro de 2017, “estabeleceu novos padrões de responsabilidade no sector. Comprometemos-nos a usá-la como um trampolim para continuar a compartilhar informações científicas com o público”.

Herança da Monsanto

A Bayer enfrenta milhares de processos relacionados com herbicidas à base de glifosato desde que comprou a Monsanto. Há denúncias de que herbicidas comercializados pela Monsanto causam cancro. No fim de Outubro, havia 9.300 processos semelhantes pendentes.

A nova plataforma de transparência da Bayer foi reconhecida recentemente como o “Melhor Programa de Divulgação Pública” nos Prémios Agrow de 2018 por oferecer excelência na comunicação de informações sobre os benefícios dos fitofarmacêuticos.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

CNEMA recebe Concurso Nacional de Mel a 8 de Março. Inscreva-se aqui

A 10.ª edição do Concurso Nacional de Mel e a 7.ª edição do Concurso Nacional …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.