Início / Agricultura / Açores: Prorural+ tem 12 M€ para novas candidaturas

Açores: Prorural+ tem 12 M€ para novas candidaturas

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou hoje, 24 de Agosto, que será aberto no início de Setembro mais um período de recepção de candidaturas a projectos de investimento, no âmbito de 11 sub-medidas do Programa de Desenvolvimento Rural dos Açores, designado por PRORURAL+.

João Ponte, que falava à margem de uma visita à fábrica de chá Gorreana, em São Miguel, adiantou que estas sub-medidas têm uma dotação total de 12 milhões de euros, sendo que grande parte deste montante está alocado às sub-medidas 4.2 (apoio à transformação, comercialização e desenvolvimento de produtos), com uma dotação de quatro milhões de euros, e 4.3 (melhoria e desenvolvimento de infraestruturas), que tem uma dotação seis milhões de euros.

O PRORURAL+, com uma taxa de compromisso de 55% e execução superior a 30%, já aprovou desde o seu início, em 2014, cerca de cinco centenas de projectos de investimento no sector agrícola no arquipélago, representando uma despesa pública de 34,4 milhões de euros.

Apresentação de candidaturas

O prazo limite para apresentação das candidaturas depende da sub-medida, variando entre os dias 29 de Setembro e 31 de Outubro.

Melhoria e desenvolvimento de infra-estruturas, criação de agrupamentos e organizações de produtores nos sectores da agricultura e silvicultura, apoio a projectos piloto e desenvolvimento de novos produtos, práticas, processos e tecnologias são algumas das sub-medidas cujas candidaturas vão abrir no próximo mês.

As candidaturas devem ser feitas através de um formulário próprio, disponível no Portal do PRORURAL+, aqui.

João Ponte referiu que a candidatura que a fábrica Gorreana manifestou a intenção de apresentar, com vista à inovação e aumento da capacidade de produção de chá, “insere-se claramente” na política do Governo dos Açores de modernização e aumento da capacidade de transformação, reforçando, assim, a capacidade exportadora da Regiáo.

Esta fábrica, de cariz familiar, produz anualmente cerca de 40 toneladas de chá, das quais cerca de 60% se destinam à exportação para o continente português, Alemanha, Brasil e China, entre outros países.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Nuno Russo: “a informação permitirá valorizar o que produzimos”

Partilhar            O secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, participou, ontem, 26 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.