Início / Agricultura / ViniPortugal debate novas regras de rotulagem dos produtos vitivinícolas

ViniPortugal debate novas regras de rotulagem dos produtos vitivinícolas

O Fórum Anual dos “Vinhos de Portugal” promovido pela ViniPortugal, entidade responsável pelo desenvolvimento e execução de estratégias e planos de promoção dos Vinhos de Portugal em mercados internacionais, realizou-se ontem, 22 de Novembro, em Leiria. Esteve em destaque a apresentação das novas regras de rotulagem dos produtos vitivinícolas, tendo sido ainda comunicados os números e o balanço de performance do vinho português no mercado nacional e internacional entre os meses de Janeiro e Setembro de 2023 e, ainda, divulgado o Plano de Marketing e Promoção para 2024 da ViniPortugal com a marca ‘Wines of Portugal’.

A sessão de boas-vindas esteve a cargo do presidente da ViniPortugal, Frederico Falcão, seguindo-se a apresentação pelo IVV — Instituto da Vinha e do Vinho dos dados referentes a 2022 e ao período entre Janeiro e Setembro de 2023.

Em 2022 Portugal encontrava-se entre os 10 principais exportadores mundiais, ocupando o 8º lugar em volume e o 9º lugar em valor, sendo que os principais mercados foram Estados Unidos da América, Reino Unido e Alemanha. De Janeiro a Setembro de 2023 Portugal exportou 241 milhões de litros de vinho português, registando um valor de 682 milhões de euros, a um preço médio por litro de 2,83 euros. Quanto aos 5 maiores mercados de destino do vinho português até Setembro, temos os EUA (77 milhões de euros), França (75 milhões), Reino Unido (68 milhões), Brasil (58 milhões) e Canadá (38 milhões).

No que diz respeito ao tipo de produto vitivinícola, o vinho tranquilo com DO/IG representou 110 milhões de litros exportados, um acréscimo de 1,6% face a 2022, e 327 milhões de euros, um aumento de 11 milhões de euros face a 2022, ou seja, 3,2%. O preço médio por litro também teve um ligeiro aumento, situando-se em 2,97 euros.

“Temos assistido a um crescimento significativo nas exportações dos vinhos portugueses de forma continua, ano após ano. Este aumento deve-se à excelente qualidade dos nossos vinhos e ao trabalho de promoção internacional que tem sido desenvolvido em conjunto com o sector, no sentido de dar a conhecer os nossos produtos. Para 2024 a ViniPortugal tem definido um programa de promoção com o objectivo de trabalhar a notoriedade de marca Wines of Portugal, desenvolver o posicionamento distintivo dos vinhos portugueses com vista a credibilizar a nossa oferta e afirmar Portugal como um hot spot internacional do sector do vinho. Para o alcance destas metas teremos um investimento de 8,32 milhões de euros para trabalhar 22 mercados, sendo que 66% será fora da Europa”, afirma Frederico Falcão, presidente da ViniPortugal.

Novas regras de rotulagem

Nesta edição do “Fórum Anual dos “Vinhos de Portugal” o destaque foi para as novas regras de rotulagem de produtos vitivinícolas. Ou seja, a partir de 8 de Dezembro de 2023 é obrigatória a indicação na rotulagem da declaração nutricional, dos ingredientes e data de durabilidade mínima.

Os vinhos e produtos vínicos que tenham sido produzidos antes dessa data podem continuar a ser colocados no mercado até ao esgotamento das existências. O objectivo do legislador europeu, é que esta informação sirva, sobretudo, a necessidade de os consumidores estarem mais bem informados para fazerem as suas escolhas. Através da proposta apresentada por Portugal, legislou-se no sentido de se disponibilizar a informação sobre a lista de ingredientes e a declaração nutricional, através de meios electrónicos, por exemplo o Código QR.

Segundo Frederico Falcão, “as novas regras de rotulagem são muito importantes para o consumidor estar na posse de todas as informações para tomar melhores decisões em relação ao consumo de produtos vitivinícolas, na medida em que a informação presente contará com a declaração nutricional, como o valor energético, as quantidades de lípidos, ácidos gordos saturados, hidratos de carbono, açucares, proteínas, entre outros. Esta regra, já aplicada aos outros géneros alimentícios, vai-nos trazer mais informação sobre aquilo que consumimos e, assim, fazermos escolhas mais informadas”.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Agro.Ges: prevê-se uma transferência de áreas ocupadas por cereais para culturas leguminosas

Partilhar              “Não se esperam alterações na área ocupada pelos solos agrícolas e florestais da União Europeia, …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.