Início / Agricultura / Prémio Terre de Femmes anuncia painel de júri da 11.ª edição. Candidaturas até 30 de Setembro

Prémio Terre de Femmes anuncia painel de júri da 11.ª edição. Candidaturas até 30 de Setembro

Luísa Schmidt, Susana Fonseca, Mário Grácio e Milene Matos são os especialistas que vão eleger as grandes vencedoras da 11.ª edição do Prémio Terre de Femmes. O painel de júri distingue todos os anos mulheres com projectos a favor do ambiente.

Recorde-se que as candidaturas para o Prémio Terre de Femmes abriram no passado dia 19 de Julho e que o prazo de envio de projectos termina já no próximo dia 30 de Setembro. Ser mulher, ter idade igual ou superior a 18 anos e possuir um projecto ambiental já implementado, são os requisitos para a inscrição no concurso que tem 18 mil euros em jogo.

Mais informações aqui.

Para a Ana Ribeiro, porta-voz da Yves Rocher Portugal, este “grupo de especialistas de renome tem a difícil tarefa de avaliar e distinguir projectos entre as dezenas de candidaturas que todos os anos recebemos e, para nós, é um verdadeiro orgulho contar com personalidades que são, por si só, protagonistas de importantes iniciativas na área ambiental em Portugal e no Mundo”.

O Júri

Luísa Schmidt é investigadora do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, coordenadora do Observatório de Ambiente, Território e Sociedade, faz parte da equipa que introduziu a Sociologia do Ambiente em Portugal, e é autora do livro “Portugal – ambientes de Mudança”.

Já Susana Fonseca, é actualmente investigadora no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, membro da direcção da Associação ZERO e um dos principais rostos na luta pela concretização do desenvolvimento sustentável em Portugal.

Por sua vez, Mário Grácio é técnico especialista no gabinete do secretário de Estado do Ambiente e membro da Direcção da Associação Portuguesa de Engenharia do Ambiente (APEA).

Por fim, Milene Matos foi a única vencedora nacional do Terre de Femmes a ganhar também a competição internacional do mesmo prémio. Actualmente, é coordenadora do Sector de Conservação da Natureza e Educação Ambiental do Município de Lousada e é membro-fundadora da Associação Bio Living.

Selecção

Na selecção dos projectos, o júri tem em atenção o teor e impacto dos mesmos, nomeadamente na combinação dos seguintes critérios: ligação ao ambiente; fase de realização do projecto; perspectivas duradoras; e benefício para a comunidade/sociedade.

“É decisivo para a designação das premiadas avaliar a ligação dos projectos ao mundo ambiental, os benefícios que daí decorram para as comunidades e a implicação da mulher que desenvolve a acção. É importante que se sinta a energia e força mobilizadora da candidata em torno do projecto”, defende Ana Ribeiro.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Produtividade da batata de regadio aumenta 10%. Tomate para a indústria com boas perspectivas

A apanha da batata de regadio está a decorrer e confirmam-se os aumentos de produtividade …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.