Início / Agricultura / Adega Cartuxa lança primeiros vinhos biológicos e muda imagem da EA

Adega Cartuxa lança primeiros vinhos biológicos e muda imagem da EA

A Fundação Eugénio de Almeida (FEA) decidiu mudar a imagem de um dos activos mais importantes do seu projecto vitivinícola, o EA. Ao mesmo tempo avança com os seus primeiros vinhos biológicos da Adega Cartuxa.

A FEA entendeu criar uma nova imagem para o EA, “sem perder o foco daquilo que são os elementos da marca – as iniciais do fundador desta organização: Eugénio de Almeida. Por isso, entendeu escolher atribuir uma nova imagem cromática ao EA. Procura-se com este rebrand da marca dar-lhe mais notoriedade, torná-la mais facilmente reconhecível, ao mesmo tempo que se procurava uma economia visual”, referem os responsáveis pela produtora. O objectivo desta mudança de imagem é atingir novos públicos “sem trair os clientes e fiéis consumidores do EA”, acrescentam.

Os primeiros bio

Entretanto, grande parte das vinhas da Fundação Eugénio de Almeida são já conduzidas em modo de produção biológica. Para já apenas 60 hectares de vinha estão certificados. É destes terrenos, oito anos depois das primeiras vinhas ‘bio’, que saem as uvas dos dois vinhos biológicos que agora serão lançados no mercado. Em versão branco e tinto, vão ser comercializados sob a marca EA. Estes vinhos biológicos (branco e tinto) vêm assim completar a gama branco, rosé, tinto e tinto reserva do EA.

“Trata-se do culminar de um investimento de oito anos da Fundação Eugénio de Almeida para produzir de uma forma mais amiga do ambiente”, refere José Mateus Ginó, membro do conselho executivo da Fundação Eugénio de Almeida.

EA Biológico Branco 2015

ea_branco-bio-lowCastas: Assario

Tipo de solo: granítico

Dados analíticos:

Álcool (%) – 13

Acidez total (g/l) – 6,6

pH – 3,14

Açucares totais (g/l) – 0,6

Vinificação:

Produzido a partir da casta Assario, plantada nas vinhas da Fundação Eugénio de Almeida e conduzidas em modo de produção biológico. Quando as uvas atingem o estado de maturação ideal, são colhidas e transportadas para a adega, onde se inicia o processo tecnológico, com desengace total e ligeiro esmagamento, prensagem, arrefecimento e clarificação natural do mosto. A fermentação ocorre em depósitos de aço inox a temperatura controlada de 16ºC. Após a fermentação permaneceu 4 meses em contacto com borra fina. Foi estabilizado a frio e sujeito a ligeira filtração antes do engarrafamento.

Temperatura de serviço:

10ºC a 12ºC

Equipa de enologia: Pedro Baptista (enólogo) e Duarte Lopes (enólogo assistente)

EA Biológico Tinto 2015

ea_tinto-bio-lowCastas: Alicante Bouschet e Syrah

Tipo de solo: granítico

Dados analíticos:

Álcool (%) – 13

Acidez total (g/l) – 6,2

pH – 3,74

Açucares totais (g/l) – 0,4

Vinificação:

Produzido a partir das castas Alicante Bouschet e Syrah, plantadas nas vinhas da Fundação Eugénio de Almeida e conduzidas em modo de produção biológico. Quando as uvas atingem o estado de maturação ideal, são colhidas e transportadas para a adega, onde se inicia o processo tecnológico, com desengace total e ligeiro esmagamento. A fermentação, com leveduras indígenas, ocorre em cubas de aço inox a temperatura controlada de 24-27ºC. Após a fermentação estagiou 6 meses em barricas de carvalho francês. Antes do engarrafamento foi sujeiro a ligeira filtração.

Temperatura de serviço:

16ºC a 18ºC

Equipa de enologia: Pedro Baptista (enólogo) e Duarte Lopes (enólogo assistente)

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Agricultores de Portalegre consideram restrição de apoios agroambientais “absurda”

A AADP — Associação dos Agricultores do Distrito de Portalegre considera um “absurdo” a decisão …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.