Início / Agricultura / Negócio de enoturismo da Ervideira cresce 20% em 2023

Negócio de enoturismo da Ervideira cresce 20% em 2023

O ano de 2023 foi marcado por um crescimento da Ervideira, tanto no canal trade, como na categoria de enoturismo. A categoria de enoturismo destacou-se, atingindo um crescimento ímpar (+20%) face aos anos anteriores — atingindo uma facturação de 700 mil euros —, já o canal trade (venda a distribuidores de vinhos, restaurantes e garrafeiras) apresentou um crescimento menos acentuado, mantendo a marca nos 2 milhões de euros, este ano.

Somando estas duas componentes, a Ervideira cresceu 8% em termos de facturação neste último ano, valor que não descansa Duarte Leal da Costa, director executivo da Ervideira, que tem a pretensão de aumentar a facturação em 2024, avança o produtor em nota de imprensa.

Aposta nas gamas de prestígio

Perspectivando o próximo ano, a marca aposta no crescimento de algumas das suas gamas de prestígio, tais como Conde D’Ervideira, Invisível e Vinha D’Ervideira, que será reforçada em 2024. Mas não ficará por aqui e dará início à construção da nova adega Conde D’Ervideira, com o “objectivo claro de apostar no crescimento da produção e venda dos vinhos de maior renome. Esta estratégia tem por base continuar a fazer crescer a marca, afirmando a Ervideira no quadro Nacional e Internacional, mantendo-a uma das PME Líder, dando o salto em termos de facturação”.

Perante os resultados atingidos pela marca, Duarte Leal da Costa, explica que “depois do ano de 2022, que veio com a falsa promessa de que estaríamos a voltar ao normal, eis que veio um ano ainda mais desafiante”. “2023 foi um ano marcado pela guerra na Ucrânia, em Israel, pela queda do governo e pela subida das taxas de juros… a soma destes factores provocou, inevitavelmente, uma descapitalização das famílias portuguesas, que faz com que haja dificuldade em adquirir bens de caris extraordinário”.

Face aos objectivos para o próximo ano, o director executivo da Ervideira reforça ainda que “com o somatório das duas componentes, a Ervideira cresceu 8% na sua facturação, valor que ficou aquém dos nossos objectivos, reconhecendo, no entanto, que eram ambiciosos. Mesmo enquanto conhecedores da situação actual do País e da manutenção da taxa de juros, os nossos objectivos de crescimento mantêm-se elevados, querendo continuar a afirmar a Ervideira no quadro nacional enquanto PME Líder, e passando para os 3 milhões de facturação em 2024. É este o caminho que estamos a trilhar desde o dia 1”.

A Ervideira é uma das empresas vitivinícolas seculares em Portugal, produzindo vinho desde 1880. Actualmente possui um total de 110 hectares de vinha, distribuídos pelas sub-regiões da Vidigueira (60 ha) e Reguengos (50 ha).

Entre os seus vinhos, estão marcas como Conde D’Ervideira, Invisível, Vinha D’Ervideira, Terras D’Ervideira e Lusitano e ainda o Flor de Sal produzido já pela 5ª geração da Família.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Eurodeputados portugueses e espanhóis juntos na defesa do regadio em Bruxelas

Partilhar              Eurodeputados portugueses e espanhóis, reunidos no 3º Congresso Ibérico do Milho, concordaram que “o regadio …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.