Início / Agricultura / Legislativas 2024. Volt pretende incentivar agricultores a transitarem de produção animal para vegetal com apoios da PAC
© Volt

Legislativas 2024. Volt pretende incentivar agricultores a transitarem de produção animal para vegetal com apoios da PAC

O Volt, “partido federalista e europeísta”, que se intitula “partido pan-europeu e pragmático”, pretende “incentivar os agricultores a transitarem de produção animal para produção vegetal através de apoios da PAC [Política Agrícola Comum], promovendo o plantio de leguminosas de alto valor nutricional e potencial para a dieta humana, e oferecendo incentivos para a redução do número de animais criados”.

Segundo o programa eleitoral do partido para as legislativas antecipadas de 10 de Março de 2024, “a agricultura é responsável por 10,3% das emissões de gases de efeito estufa da UE [União Europeia], e 81-86% dessas emissões vêm do sector animal”.

E realça que “a nível de saúde, o consumo de carne entre os portugueses é quatro vezes superior ao recomendado na Roda dos Alimentos. Globalmente, é preciso apostar num consumo de produtos de origem animal menor e de melhor qualidade, para se regressar a níveis sustentáveis de consumo, mantendo a rentabilidade dos agricultores através da reconversão de práticas e de preços mais realistas e justos, que tornarão a carne numa comodidade menos banal”.

Para o Volt, que tem Inês Bravo Figueiredo como cabeça de lista pelo círculo eleitoral de Lisboa, “Portugal tem o potencial de ser um país de cariz agrícola mais competitivo, devendo por isso desenvolver culturas que maximizem esta oportunidade”. Enquadram-se nesta óptica de oportunidade, por exemplo, “as fileiras do azeite (olival), vinho (vinha) e dos frutos secos (amêndoa), sobretudo no Alentejo e Trás-os-Montes com níveis de excelência de produção”.

Mas, para o partido, “existem outros casos de sucesso a ampliar, nomeadamente através da criação de áreas de produção/variedades reconhecidas, como sejam a pêra-rocha, maçã de Alcobaça, apoiando e desenvolvendo novas regiões demarcadas como sejam a maçã de Armamar e Carrazeda de Ansiães”.

Além disso, o Volt defende a criação de “regiões demarcadas para produção de cereja (Resende, Mirandela/Valpaços, Fundão)” e “retomar a produção de figo de Torres Novas e ameixa d’Elvas”.

Pode ler o programa eleitoral completo do Volt para as legislativas de 10 de Março aqui.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Eurodeputados portugueses e espanhóis juntos na defesa do regadio em Bruxelas

Partilhar              Eurodeputados portugueses e espanhóis, reunidos no 3º Congresso Ibérico do Milho, concordaram que “o regadio …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.