Início / Agricultura / Fertiberia lança primeiro bioinibidor do mercado que evita perdas de azoto e protege biodiversidade do solo

Fertiberia lança primeiro bioinibidor do mercado que evita perdas de azoto e protege biodiversidade do solo

A Fertiberia, empresa de referência europeia no sector da nutrição vegetal de elevado valor acrescentado, dá mais um passo na sua aposta na biotecnologia, com o lançamento de NSAFE. Esta nova tecnologia pioneira a nível mundial permite que grande parte da oferta de fertilizantes da empresa aumente a sua “capacidade de protecção da biodiversidade do solo, melhorando em simultâneo o rendimento das culturas”. Estará disponível, inicialmente, apenas no mercado espanhol.

Trata-se do primeiro desenvolvimento biotecnológico do mercado com um efeito inibidor da nitrificação, refere uma nota de imprensa da empresa, adiantando que este “permite que os fertilizantes enriqueçam o solo graças à sua natureza microbiana, oferecendo assim uma alternativa mais eficiente e ecológica, comparativamente aos inibidores de síntese química tradicionais”.

Numa primeira fase, o NSAFE será aplicado no Nergetic DZ+ da Fertiberia TECH e será incorporado progressivamente nos restantes produtos da linha Nergetic ao longo dos próximos anos, proporcionando assim um novo factor de diferenciação face às restantes soluções disponíveis no mercado.

Arranque em Espanha

Com mais de seis anos de investigação, este produto estará disponível, inicialmente apenas no mercado espanhol, onde já foi registado pelo Ministério de Agricultura, Pescas e Alimentação após um processo de certificação minucioso. Já estão, também, em cursos as diligências para a internacionalização desta tecnologia inovadora.

“O azoto é um elemento essencial para o crescimento das plantas, mas muitas vezes, uma parte perde-se no solo ou no ar, devido aos processos de lixiviação e volatilização, o que representa um desafio significativo para os agricultores. Esta tecnologia inovadora protege o azoto e prolonga a actividade do mesmo, permanecendo activo no solo durante mais tempo e permitindo que as plantas o assimilem mais lentamente. E fá-lo com uma particularidade: respeitando a vida microbiana e sem afectar os microrganismos presentes no solo.”, explica Alfredo Segura, director comercial do Grupo Fertiberia.

O NSAFE “é mais eficiente quando comparado com outros inibidores químicos, uma vez que, ao contrário destes, não actua sobre o azoto amoniacal (NH4+) como os inibidores de síntese, mas sim directamente sobre o azoto nítrico (NO3-), sendo capaz de o assimilar na sua estrutura orgânica sob a forma de proteína e de o libertar como azoto orgânico, após o fim do seu ciclo de vida”, acrescenta a mesma nota.

O Grupo Fertiberia é a primeira empresa do sector a produzir fertilizantes em grande escala com hidrogénio verde e está a executar o plano Net Zero para atingir a neutralidade em termos de carbono em 2035.

“Em paralelo a esta redução drástica nas emissões dos nossos produtos, com NSAFE reforçamos a nossa liderança no domínio da biotecnologia e das soluções agrícolas de elevado valor acrescentado. Este desenvolvimento não só representa um avanço que melhorará a nossa linha de produtos, como constitui um passo importante no sentido de termos uma agricultura mais sustentável e ecológica”, sublinha Alfredo Segura.

A Fertiberia, um Grupo constituído por 13 empresas líderes do sector, localizadas em Espanha, França, Portugal, Países Baixos, Suécia e Grécia, com mais de 1.700 colaboradores, é uma referência europeia no sector da nutrição vegetal e agroindústria, bem como pioneira na produção de amoníaco verde na UE, com o objectivo de descarbonizar a agricultura e outros sectores, como a indústria e os transportes. É

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Sapadores Florestais do SinFAP avançam com acção judicial contra o Estado Português

Partilhar              O SinFAP – Sindicato Independente dos Trabalhadores da Floresta, Ambiente e Protecção Civil, avançou com …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.