Início / Agricultura / Xylella fastidiosa detectada pela primeira vez em laranjeira. DGAV actualiza zona demarcada

Xylella fastidiosa detectada pela primeira vez em laranjeira. DGAV actualiza zona demarcada

A DGAV — Direcção Geral de Alimentação e Veterinária informa que, em resultado da confirmação da presença da bactéria Xylella fastidiosa em 4 novos locais, nos concelhos de Vila Nova de Gaia e Santa Maria da Feira, procedeu à actualização da zona demarcada da Área Metropolitana do Porto.

Realça a DGAV o facto de ter sido detectada, pela primeira vez, uma laranjeira infectada com a bactéria Xylella fastidiosa subsp. multiplex, aguardando-se ainda a determinação do ST. A subespécie da bactéria até agora identificada é Xylella fastidiosa subsp. multiplex ST7.

Assim, a DGAV actualizou o Plano de Prospecção Nacional tendo agora sido incluída a laranjeira na lista de espécies prioritárias a prospectar.

As plantas identificadas infectadas, até à presente data, na zona demarcada pertencem aos seguintes géneros e espécies:

  • Acacia longifólia (Andrews) Wild
  • Acacia melanoxylon R. Br.
  • Adenocarpus lainzii (Castrov.) Castrov.
  • Artemisia arborescens L.
  • Asparagus acutifolius L.
  • Athyrium filix-femina (L.) Roth
  • Berberis thunbergii DC.
  • Calluna vulgaris (L.) Hull
  • Cistus psilosepalus Sweet
  • Cistus salviifolius L.
  • Citrus sinensis (L.) Osbeck
  • Coprosma repens A. Rich.
  • Cytisus scoparius (L.) Link
  • Dodonea viscosa (L.) Jacq.
  • Echium plantagineum L.
  • Elaeagnus× ebbingei
  • Erica cinerea L.
  • Erigeron canadensis L.
  • Erodium moschatum (L.) L*Her.
  • Euryops chrysanthemoides (DC.) B. Nord.
  • Frangula alnus Mill.
  • Gazania rigens (L.) Gaertn.
  • Genista tridentata L.
  • Hebe, Hibiscus syriacus L.
  • Hypericum perforatum L.
  • Hypericum androsaemum L.
  • Ilex aquifolium L.
  • Laurus nobilis L.
  • Lavandula angustifólia L.
  • Lavandula dentata L.
  • Lavandula stoechas L.
  • Lavatera cretica L.
  • Magnolia grandiflora L.
  • Magnolia x soulangeana Soul.-Bod.
  • Medicago sativa L.
  • Metrosideros excelsea Sol. Ex Gaertn.
  • Myrtus communis L.
  • Nerium oleander L.
  • Olea europaea L.
  • Osteospermum ecklonis (DC.) Norl.
  • Pelargonium graveolens (L ́Hér.) Dum. Cours.
  • Plantago lanceolata L.
  • Pteridium aquilinum (L.) Kuhn.
  • Prunus laurocerasus L.
  • Prunus persica (L.) Batsch.
  • Quercus robur L.
  • Quercus rubra L.
  • Quercus suber L.
  • Rosa
  • Rubus ulmifolius Schott.
  • Ruta graveolans L.
  • Salvia rosmarinus Spenn.
  • Sambucus nigra L.
  • Santolina chamaecyparissus L.
  • Strelitzia reginae Ait, Ulex e Vinca.

Para mais informação consulte a pagina do Portal Zonas demarcadas de Xylella fastidiosa em Portugal, onde poderá aceder ao Despacho n.º 48/G/2022 (aqui) sobre a actualização da zona demarcada para a Xylella fastidiosa na Área Metropolitana do Porto.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

IFAP paga 119 M€ de apoios aos sectores agroflorestal e das pescas em Setembro

Partilhar              O Ministério da Agricultura e da Alimentação informa que, no final do mês de Setembro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.