Início / Economia / Volume de capturas de pescado em Portugal diminuiu 26,5% em Fevereiro de 2020

Volume de capturas de pescado em Portugal diminuiu 26,5% em Fevereiro de 2020

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O volume de capturas de pescado em Portugal diminuiu 26,5% em Fevereiro de 2020 (-36,0% em Janeiro), justificado pela menor captura de peixes marinhos (nomeadamente de biqueirão mas também de cavala e carapau) e de moluscos, revela o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Abril de 2020, do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Às 5.740 toneladas de pescado correspondeu uma receita de 20.701 mil euros, valor que representou um decréscimo de 0,5% (-15,6% em Janeiro).

Na Região Autónoma dos Açores foram capturadas 474 toneladas de pescado, ou seja, um acréscimo de 153,3% (-17,7% em Janeiro), resultante sobretudo da maior captura de atuns, carapau e cavala. Na Região Autónoma da Madeira as 269 toneladas capturadas representaram também um aumento de 40,2% (-6,2% em Janeiro), devido principalmente à maior captura de peixe-espada e atuns.

Peixes marinhos capturados

O volume de peixes marinhos capturados a nível nacional foi de 4.365 toneladas e teve um decréscimo de 31,6% (+41,5% em Janeiro). Esta situação resultou fundamentalmente da menor captura de biqueirão (-92,1%), que caiu de 2.411 toneladas em Fevereiro de 2019 para apenas 191 toneladas no mês em análise.

A redução das capturas desta espécie deve-se às medidas de gestão da quota de biqueirão atribuída a Portugal, definidas no Despacho nº 10003-A/2019 e na Portaria nº 19/2020. Decresceram igualmente as capturas de cavala (-30,3%), com 367 toneladas, e de carapau (-2,1%), com 1 308 toneladas capturadas.

Pelo contrário, registaram-se maiores capturas de peixe-espada (+21,2%), com 430 toneladas, atuns (+26,5%), com 215 toneladas, pescadas (+32,5%), com 180 toneladas e sardinha, que apesar de ter quadruplicado (+244,3%), registou apenas 2 toneladas, capturadas exclusivamente nas Regiões Autónomas, devido ao Despacho n.º 9004-A/2019, que estabeleceu a interdição à captura, manutenção a bordo e descarga desta espécie, com qualquer arte de pesca para o Continente a partir de 12 de Outubro de 2019.

Crustáceos

O volume de crustáceos (129 toneladas) teve um aumento de 21,9% (+37,9% em Janeiro), devido principalmente ao maior volume de gamba branca, camarão, percebe e lagostim. Quanto aos moluscos, as 1 198 toneladas capturadas representaram uma diminuição de 7,2% (-19,9% em Janeiro), sendo de destacar a menor captura de polvo e berbigão.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Pesca desportiva. Rio Beça e seus afluentes repovoados com trutas fário

Partilhar            A Associação Cultural e de Caçadores das Breias, detentora da concessão de pesca desportiva do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.