Início / Economia / Volume de capturas de pescado em Portugal diminuiu 26,5% em Fevereiro de 2020

Volume de capturas de pescado em Portugal diminuiu 26,5% em Fevereiro de 2020

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O volume de capturas de pescado em Portugal diminuiu 26,5% em Fevereiro de 2020 (-36,0% em Janeiro), justificado pela menor captura de peixes marinhos (nomeadamente de biqueirão mas também de cavala e carapau) e de moluscos, revela o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Abril de 2020, do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Às 5.740 toneladas de pescado correspondeu uma receita de 20.701 mil euros, valor que representou um decréscimo de 0,5% (-15,6% em Janeiro).

Na Região Autónoma dos Açores foram capturadas 474 toneladas de pescado, ou seja, um acréscimo de 153,3% (-17,7% em Janeiro), resultante sobretudo da maior captura de atuns, carapau e cavala. Na Região Autónoma da Madeira as 269 toneladas capturadas representaram também um aumento de 40,2% (-6,2% em Janeiro), devido principalmente à maior captura de peixe-espada e atuns.

Peixes marinhos capturados

O volume de peixes marinhos capturados a nível nacional foi de 4.365 toneladas e teve um decréscimo de 31,6% (+41,5% em Janeiro). Esta situação resultou fundamentalmente da menor captura de biqueirão (-92,1%), que caiu de 2.411 toneladas em Fevereiro de 2019 para apenas 191 toneladas no mês em análise.

A redução das capturas desta espécie deve-se às medidas de gestão da quota de biqueirão atribuída a Portugal, definidas no Despacho nº 10003-A/2019 e na Portaria nº 19/2020. Decresceram igualmente as capturas de cavala (-30,3%), com 367 toneladas, e de carapau (-2,1%), com 1 308 toneladas capturadas.

Pelo contrário, registaram-se maiores capturas de peixe-espada (+21,2%), com 430 toneladas, atuns (+26,5%), com 215 toneladas, pescadas (+32,5%), com 180 toneladas e sardinha, que apesar de ter quadruplicado (+244,3%), registou apenas 2 toneladas, capturadas exclusivamente nas Regiões Autónomas, devido ao Despacho n.º 9004-A/2019, que estabeleceu a interdição à captura, manutenção a bordo e descarga desta espécie, com qualquer arte de pesca para o Continente a partir de 12 de Outubro de 2019.

Crustáceos

O volume de crustáceos (129 toneladas) teve um aumento de 21,9% (+37,9% em Janeiro), devido principalmente ao maior volume de gamba branca, camarão, percebe e lagostim. Quanto aos moluscos, as 1 198 toneladas capturadas representaram uma diminuição de 7,2% (-19,9% em Janeiro), sendo de destacar a menor captura de polvo e berbigão.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Lei da Caça vai mudar. Propostas de alteração apresentadas no prazo de três semanas

Partilhar            As organizações de âmbito nacional de 1.º Nível representativas do sector da caça garantiram esta …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.