Início / Economia / Volume de capturas de pescado diminui 21,4% em Abril de 2020

Volume de capturas de pescado diminui 21,4% em Abril de 2020

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O volume de capturas de pescado em Portugal, em Abril de 2020, diminuiu 21,4% (-34,1% em Março), justificado pela menor captura de peixes marinhos (nomeadamente de biqueirão, carapau e atuns) bem como de crustáceos e moluscos, revela o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Junho de 2020, do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Às 5.226 toneladas de pescado correspondeu uma receita de 15.573 mil euros, valor que representou um decréscimo de 27,9% (-32,5% em Março).

Na Região Autónoma dos Açores foram capturadas 373 toneladas de pescado, ou seja, um aumento de 14,4% (-37,4% em Março), resultante sobretudo da maior captura de atuns. Na Região Autónoma da Madeira as 327 toneladas capturadas representaram um decréscimo de 47,0% (-6,2% em Março), devido principalmente à menor captura de atuns, carapau e cavala.

Peixes marinhos

O volume de peixes marinhos capturados a nível nacional foi de 3.964 toneladas e teve um decréscimo de 19,4% (-35,4% em Março). Para esta situação contribuiu o menor volume de captura de biqueirão no mês em análise (-100,0%), devido às medidas de gestão da quota de biqueirão atribuída a Portugal, definidas no Despacho nº 10003-A/2019 e na Portaria nº 19/2020. Decresceram igualmente as capturas de carapau (-21,0%), com 1.190 toneladas e de atuns (-50,0%), com 244 toneladas capturadas.

Maior captura de cavala e peixe-espada

Pelo contrário, houve maior captura de cavala (+14,4%), com 737 toneladas, peixe-espada (+11,6%), com 336 toneladas e sardinha (+119,4%), que registou 4 toneladas, capturadas exclusivamente na Região Autónoma dos Açores, devido ao Despacho n.º 9004-A/2019, que estabeleceu a interdição à captura, manutenção a bordo e descarga desta espécie, com qualquer arte de pesca para o continente a partir de 12 de Outubro de 2019.

O volume de crustáceos (29 toneladas) teve um decréscimo significativo de 77,9% (-23,9% em Março), devido principalmente ao menor volume de gamba branca e caranguejo. Para os moluscos, as 1.222 toneladas capturadas representaram igualmente uma diminuição de 22,2% (-30,2% em Março), sendo de destacar uma captura inferior de polvo, amêijoas e berbigão.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Comportamento emocional em organismos-modelo aquáticos revisto por investigadores da Universidade de Évora

Partilhar            Os investigadores do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE-UE) da Universidade de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.