Início / Agricultura / Vespa asiática: saiba como montar uma armadilha artesanal

Vespa asiática: saiba como montar uma armadilha artesanal

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A vespa velutina (asiática) é considerada uma espécie invasora, com vários efeitos negativos no ambiente e na biodiversidade devido à forte predação de abelhas e de outros insectos polinizadores. Os meses de Fevereiro e Março costumam ser marcados pelo aparecimento de novas colónias.

Por isso, o Grupo Operacional Vespa Velutina, liderado pela  Dolmen — Desenvolvimento Local e Regional, acaba de divulgar um conjunto de dicas para montar uma armadilha artesanal contra esta praga.

Explicam aqueles especialistas que a montagem de armadilhas é um dos métodos mais eficazes para evitar a proliferação da vespa asiática, sendo por isso uma acção imperativa nos dois períodos de captura: de Fevereiro a Julho, capturar as fundadoras que saem da hibernação, impedindo a criação de mais ninhos, e de Agosto a Dezembro, capturar as obreiras predadoras que atacam as abelhas para alimentar as suas larvas.

No âmbito do projecto do Grupo Operacional, foi realizado um pequeno vídeo com a elaboração e colocação de uma armadilha artesanal.

Na preparação do isco e na instalação devem ter-se em consideração alguns procedimentos, os quais se passa a explicar:

Material:

  • Um garrafão de água de 6 litros
  • Uma garrafa de água de 1,5 litros
  • Sangria
  • Restos de cera antiga de abelha (opcional)
  • X-acto

Preparação:

1 – Cortar a lateral do garrafão
2 – Cortar uma pequena circunferência no fundo do garrafão, para escoamento de água da chuva
2 – Cortar a parte de cima da garrafa de água, criando uma tampa em forma de funil
3 – Adicionar 1,5 cm a 2 cm de sangria na garrafa
4 – Adicionar os restos de cera antiga de abelha (opcional)
5 – Colocar a parte de cima (tampa) na garrafa, de forma invertida
6 – Colocar a garrafa dentro do garrafão

Instalação:

Estas armadilhas deverão ser instaladas nas limitações dos apiários, suficientemente afastadas das colmeias para que o cheiro do isco prevaleça face aos aromas das colmeias, penduradas a uma altura superior a 1,5 m do chão. Recomenda-se também, que o isco seja substituído em 8 em 8 dias.

Vigia:

Monitorizar regularmente a armadilha, contando o número de Vespas velutinas capturadas, enterrando-as de seguida, juntamente com o isco antigo, impedindo que outros animais sejam atraídos para o apiário.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Proença-a-Nova realiza acções de sensibilização sobre a floresta no concelho

Partilhar            A floresta que queremos é o mote para as acções de sensibilização que o Município …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.