Início / Agricultura / UPL aconselha Spirox D para controlo do oídio e da podridão negra da videira

UPL aconselha Spirox D para controlo do oídio e da podridão negra da videira

A UPL, especialista em produtos para a protecção das plantas, recomenda o Spirox D para controlo do oídio e da podridão negra (black rot) da videira. Trata-se de um fungicida sistémico que combina duas substâncias activas “muito potentes” — a espiroxamina e o difenoconazol — para uma acção preventiva, curativa e erradicante.

Segundo a UPL é um produto “sem efeitos na vinificação, nem nas características organoléticas do vinho. Respeita a fauna auxiliar da videira e apresenta baixa toxicidade para as abelhas”.

Acrescenta a empresa que o Spirox D tem como pontos fortes ser “altamente eficaz no controlo de oídio e podridão negra (black rot); ideal para gestão de resistências; flexível no momento de aplicação; adequado para uso em protecção integrada; cuidadoso com a cultura e a colheita; e sem barreiras na exportação.

O Spirox D “destrói o crescimento dos fungos, inibindo a germinação e a penetração dos esporos, o crescimento do micélio, a formação dos esporos e, consequentemente, a esporulação. Actua sobre todo o ciclo do fungo patogénico, evitando a progressão da doença nas folhas e nos frutos e permitindo o crescimento de novos lançamentos sãos”.

Devido à sua dupla sistemia acrópeta e ao seu movimento translaminar na folha, o Spirox D penetra na planta e protege todas as partes da videira. Especialmente na folha, distribui-se de forma rápida e homogénea por toda a sua superfície até chegar ao ápice, realça a empresa.

“O produto é rapidamente absorvido pela planta, pelo que eventuais chuvas posteriores à aplicação não influenciem a viabilidade da aplicação”, diz ainda a UPL.

Aplicação

A UPL recomenda a aplicação de Spirox D de forma preventiva para que o produto desenvolva todo o seu potencial fungicida. O posicionamento técnico do produto é desde os cachos visíveis até ao pintor (em uva para vinho) e desde os cachos visíveis até final da floração (em uva de mesa). A dose autorizada é de 0,5 l/ha, com um máximo de três aplicações por campanha e intervalo de 10 a 14 dias entre aplicações.

Saiba mais sobre os produtos da UPL para a vinha aqui.

UPL nasceu na Índia em 1969 e, após sucessivas aquisições e um ambicioso plano de expansão, está actualmente presente em mais de 130 países, tem 48 fábricas de formulação, 12 estações de desenvolvimento experimental e mais de 13.000 registos de produtos e patentes em todo o Mundo.

Pode ler também:

UPL quer chegar a 2030 com biosoluções a representarem 50% dos seus produtos

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Porto recebe Congresso da Federação Europeia de Ciência Animal

Partilhar              O 73º Congresso da Federação Europeia de Ciência Animal (EAAP) realiza-se de 5 a 9 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.