Início / Agricultura / UE reduz limites de resíduos de pesticidas para proteger polinizadores

UE reduz limites de resíduos de pesticidas para proteger polinizadores

A Comissão Europeia adoptou hoje, 2 de Fevereiro, novas regras que, quando forem aplicáveis, reduzirão os limites máximos de resíduos (LMR) de dois pesticidas nos géneros alimentícios. As avaliações efectuadas pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) demonstraram que a clotianidina e o tiametoxame, produtos químicos pertencentes ao grupo dos pesticidas neonicotinoides, representam um risco elevado para as abelhas e contribuem para o declínio geral dos insectos polinizadores.

Por este motivo, avança uma nota de imprensa da Comissão Europeia, a sua utilização ao ar livre já tinha sido proibida na União Europeia (UE) em 2018. As novas regras vão reduzir os LMR em vigor para estas substâncias para o nível mais baixo que pode ser medido com as tecnologias mais recentes.

Serão aplicáveis a todos os produtos produzidos na UE, mas também aos géneros alimentícios e alimentos para animais importados.

Refira-se que a clotianidina é usada em sementes de algodão, feijão, milho e soja, enquanto a tiametoxame nas culturas de pêra e vinha.

O regulamento põe em prática os objectivos da Comissão, anunciados no Pacto Ecológico Europeu e na Estratégia do Prado ao Prato, de ter em conta os aspectos ambientais ao avaliar os pedidos de tolerâncias de importação relativamente a substâncias pesticidas que já não estão autorizadas na UE, respeitando simultaneamente as normas e obrigações no âmbito da Organização Mundial do Comércio.

As medidas serão aplicáveis aos produtos importados a partir de 2026, dando tempo aos países terceiros para cumprirem as novas regras, frisa a Comissão.

Saiba mais sobre os neonicotinoides aqui.

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

Chega recomenda ao Governo reversão da extinção das Direcções Regionais de Agricultura

Partilhar              O Grupo Parlamentar do Chega (CH) recomenda ao governo que “reverta a decisão de extinção …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.