Início / Agricultura / Taxa de inflação nos 0,6% em Julho. Alimentares não transformados mais caros 3,3%

Taxa de inflação nos 0,6% em Julho. Alimentares não transformados mais caros 3,3%

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A taxa de inflação está baixa. Mas os os produtos alimentares não transformados estão mais caros.

A variação homóloga do IPC passou de 0,5% em Junho para 0,6% em Julho de 2016. O indicador de inflação
subjacente, correspondente ao índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, registou uma variação homóloga de 0,8%, superior em 0,1 p.p. à do mês anterior.

Segundo os dados avançados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o agregado relativo aos produtos alimentares não transformados registou uma variação homóloga de 3,3% em Julho (2,3% em Junho), enquanto o índice referente aos produtos energéticos apresentou uma taxa de variação mais negativa em Julho, passando de -3,3% no mês anterior para -4,3%.

Os analistas do Millennium bcp dizem que a taxa de inflação “voltou a subir em Julho, tendo atingido 0,6%, em termos homólogos. Apesar da descida do IVA da restauração, a componente de restaurantes e hotéis registou um aumento significativo, impulsionada pelo forte dinamismo da actividade turística”. A analista do Millennium bcp, Márcia Rodrigues, diz que “positivamente, destaca-se também o contributo da rubrica de produtos alimentares. Em sentido contrário, a rubrica de transportes registou um decréscimo, em virtude da redução dos preços dos combustíveis”.

A um nível mais desagregado, por classes de despesa, são de destacar os aumentos das taxas de variação homóloga da classe do Vestuário e Calçado (classe 3) e dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (classe 1), com variações de 1,3% e 1,6%, respectivamente (-0,9% e 1,0% no mês anterior). Em sentido oposto, assinala-se a diminuição da taxa de variação homóloga da classe dos Transportes (classe 7) e Lazer, Recreação e Cultura (classe 9) com variações de -2,1% e 0,4% respectivamente (-1,5% e 0,9% em Junho).

Adianta o INE que a variação mensal do IPC foi -0,7% (0,1% em Junho e -0,7% em Julho de 2015). A variação média dos últimos doze meses manteve-se em 0,6%.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,7%, valor idêntico ao verificado no mês anterior e superior em 0,5 p.p. ao estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em Junho esta diferença foi 0,6 p.p.). A taxa de variação mensal do IHPC situou-se em -0,6% (0,2% no mês anterior e -0,7% em Julho de 2015) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 0,6% (valor igual ao registado em Junho).

O indicador de inflação subjacente (IPC excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) apresentou uma variação homóloga de 0,8%, taxa superior em 0,1 p.p. à do mês anterior.

Nas classes com contribuições positivas para a variação homóloga do IPC salientam-se a dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (classe 1) e dos Restaurantes e Hotéis (classe 11). A classe com contribuição negativa mais relevante foi a dos Transportes (classe 7).

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Festa da Cereja de Alfândega da Fé cancelada devido à Covid-19

Partilhar            O presidente da Câmara Municipal de Alfândega da Fé, Eduardo Tavares, informa que a edição …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.