Início / Agricultura / Relatório da FAO alerta: degradação do solo afecta 40% da população mundial

Relatório da FAO alerta: degradação do solo afecta 40% da população mundial

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) apresentou hoje, 5 de Dezembro, dia em que se comemora o Dia Mundial do Solo, um relatório a alertar que a degradação do solo afecta pelo menos 3,2 mil milhões de pessoas, ou seja, 40% da população mundial.

Sob o tema “Mantenha o solo vivo, proteja a biodiversidade do solo”, o relatório mostra que os organismos que vivem no solo desempenham um papel crucial na produção de alimentos, preservação da saúde humana, recuperação de locais poluídos e no combate à mudança climática. Mas “a contribuição do solo continua subestimada”.

Em comunicado, a vice-directora-geral da FAO, Maria Helena Semedo, disse que “a biodiversidade do solo e o seu uso sustentável são pré-requisitos para o cumprimento de muitos dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável”. Os solos são um dos principais reservatórios globais de biodiversidade. Eles hospedam mais de 25% da diversidade biológica mundial. Além disso, mais de 40% dos organismos vivos em ecossistemas terrestres estão associados aos solos durante seu ciclo de vida.

Futuro

De acordo com o relatório, a adopção de práticas sustentáveis ​​ pelos agricultores continua a ser baixa devido à falta de suporte técnico e incentivos. A publicação também destaca a necessidade de promover tecnologias inovadoras, como novas técnicas moleculares que permitem uma melhor compreensão dos organismos do solo.

Neste Dia Mundial, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, também destacou a importância deste recurso para a vida humana.

Agricultura e Mar Actual

 
       
   
 

Verifique também

Investigadores do Politécnico de Leiria estudam produção sustentável de papaias em aquaponia

Partilhar              Um grupo de investigadores do pólo de investigação do LSRE-LCM no Instituto Politécnico de Leiria …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.