Início / Agenda / RegaCork apresenta resultados da rega de precisão de sobreiros em modo de produção intensiva de cortiça

RegaCork apresenta resultados da rega de precisão de sobreiros em modo de produção intensiva de cortiça

O seminário final do Grupo Operacional RegaCork – Rega de precisão de sobreiros em modo de produção intensiva de cortiça realiza-se no dia 7 de Dezembro de 2022, a partir das 9h30, no Auditório Nobre do colégio Espírito Santo da Universidade de Évora.

O projecto, co-financiado pelo PDR 2020, é liderado pela Equipa de investigação EcoDendro da Universidade de Évora, MED e ICT e em consórcio com 14 parceiros. Irão ser apresentados os resultados obtidos no projecto, com visita à tarde ao ensaio de sobreiros regados na Herdade da Mitra (Évora).

A inscrição é gratuita, mas obrigatória, aqui.

RegaCork

Explicam os responsáveis pelo RegaCork que a produção mundial de cortiça tem vindo a diminuir em quantidade e qualidade com inerente impacto económico. Este facto deve-se à perda de vitalidade dos sobreiros (Quercus suber) ao longo das últimas décadas atribuída a más práticas de gestão, maior ocorrência de agentes bióticos nocivos, alterações climáticas, entre outros.

A preservação do sobreiro e do ecossistema Montado é imprescindível para que possamos continuar a usufruir não só da cortiça produzida mas também de um património valioso para as populações da Bacia Mediterrânica. A rentabilidade da exploração de cortiça está directamente relacionada não só com a quantidade produzida mas, também, com a sua qualidade.

E salientam que tem-se verificado não só uma redução na produção de cortiça, devido a fenómenos de mortalidade, mas também uma redução na qualidade da mesma, comprometendo a demanda de rolhas naturais no mercado global. Além disso, a redução, tanto na quantidade como na qualidade de cortiça poderá ter efeitos bastantes negativos na manutenção dos povoamentos por parte dos produtores, que eventualmente poderão optar por outras espécies florestais ou votar ao abandono as suas áreas.

Por estas razões, acrescentam, a possibilidade de se poder extrair cortiça precocemente, respeitando o perímetro estipulado por lei para a desbóia (primeiro descortiçamento – 70 cm a 1.30m de altura do fuste) e sem danos para a árvore, poderá melhorar a capacidade de resposta do mercado corticeiro às necessidades de procura do produto a médio prazo, favorecendo toda a fileira da cortiça, desde os produtores, transformadores e compradores, incluindo o meio rural e os trabalhadores, cuja economia está ligada a este sector.

O Grupo Operacional RegaCork pretende, através da transferência, aperfeiçoamento e monitorização de um conceito de gestão silvícola recentemente desenvolvida, nomeadamente através da fertirrigação de novas áreas florestais de sobro, demonstrar uma oportunidade a todos os envolvidos directamente neste consórcio bem como aos demais stakeholders da fileira da cortiça, evidenciando e envolvendo directamente todos os potenciais interessados na transferência/intercâmbio de conhecimentos técnico-científicos recentes no sentido de possibilitar e validar um novo conceito, já numa escala de adopção a nível dos produtores florestais, centrado na fertirrigação controlada de novas plantações florestais de sobro.

Programa

09h30 – Sessão de abertura – Hermínia Vilar (Reitora da Universidade de Évora)

09h40 – Sessão de apresentação

– O Grupo Operacional Regacork – Nuno de Almeida Ribeiro (Coordenador do projecto, U. Évora)

– Enquadramento do GO-Regacork na estratégia da Amorim Florestal – Francisco Carvalho (Amorim Florestal)

10h30 – Sessão temática Partilha de conhecimento em sobreiros regados

– Sobreiros em fertirrega: Resultados obtidos no projecto – Constança Camilo-Alves (U. Évora)

– Plasticidade dos sobreiros: Da fertirrega para as condições de sequeiro – Margarida Vaz (U. Évora)

– Análise das cortiças de sobreiros regados – Ana Poeiras (Universidade de Évora)

– Viabilidade económica das plantações de sobreiros com fertirrega – António Pinheiro (U. Évora)

– G.O. Fertirriego: Cultivo con fertirrigacion de alcornoques para la producción de corcho – María Teresa González (APMAE: Asociación de Propietarios de Montes Alcornocales de Extremadura)

12h15 – Mesa redonda: Experiências de instalação de sobreiros com fertirrega

Moderador: Francisco Almeida Garrett (Herdade do Conqueiro – Rovisco Garcia)

João Mota Barroso (Universidade de Évora)

Joana Amorim (Herdade do Corunheiro Fruticor)

Rui Alves (Companhia das Lezírias)

Manuel Bejarano (Jogosa Obras y Servicios S.L.U./ GO fertirriego, Espanha)

Constança Camilo Alves (Universidade de Évora)

13h15 – Almoço livre

15h00 – Visita de campo ensaio-piloto na Herdade da Mitra, Évora

Tapada dos Veados – Herdade da Mitra

Apresentação do ensaio com fertirrega em povoamento adulto de sobreiros

Teresa Soares David; Clara Pinto (INIAV)

Divulgação dos resultados da produção melhorada de plantas de sobreiro

Paula Castro; Miguel Marcos Ramos (Universidade Católica do Porto)

Agricultura e Mar

 
       
   
 

Verifique também

CAP promove debate sobre Planos de Gestão de Região Hidrográfica 2022-2027

Partilhar              A CAP — Confederação dos Agricultores de Portugal promove no auditório da sua sede, em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.