Início / Agricultura / Rede de Produtores Locais de Algarve aposta na criação de um sistema de abastecimento às cantinas públicas

Rede de Produtores Locais de Algarve aposta na criação de um sistema de abastecimento às cantinas públicas

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O projecto da Rede de Produtores Locais do Algarve pretende criar um sistema de abastecimento à restauração colectiva, como cantinas escolares ou de outros serviços públicos e de Instituições Particulares de Solidariedade Social. Este foi um dos projectos para 2022-2025 discutidos na reunião de ontem, 13 de Outubro.

Segundo uma nota de imprensa da DRAP Algarve — Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve, foi “discutida, a preparação de uma candidatura a implementar no período compreendido entre 2022 e 2025, no âmbito do PRR/Terra Futura (Ministério da Agricultura), focada em dar sustentabilidade à pequena produção local, com destaque nos modos de produção sustentável, valorizar a proximidade, com menos pegada ecológica, numa vertente da coesão social, territorial e ambiental, contribuindo assim para melhorar a dieta alimentar da população com base na dieta mediterrânica”.

Esta candidatura prevê um conjunto de actividades, tais como identificar produtores/produções locais; aumentar o número de agricultores e área de produção em Modos de Produção Sustentável na RPL; criar serviços de apoio à inovação e desenvolvimento de produtos e apoiar a organização e assistência técnica a produtores locais e a realização de acções de capacitação/visitas a unidades demonstrativas.

Por outro lado, pretende criar um sistema de abastecimento à restauração colectiva (cantinas escolares, IPSS, etc.); criar um modelo de organização e funcionamento de Mercados de Produtores Locais; organizar acções de sensibilização com o objectivo de aumentar o nível de adesão à Dieta Mediterrânica, entre outras.

“Sistemas Alimentares Sustentáveis”

Outro dos temas em debate foi o “Sistemas Alimentares Sustentáveis”, um dos projectos sob coordenação da AMAL, que se encontra já em execução e que decorrerá até final de 2022. Um projecto especialmente dirigido às zonas de baixa densidade, que visa a implementação de um sistema de compras públicas agregadas da produção local para abastecimento de instituições locais e regionais, como por exemplo escolas e Instituições Particulares de Solidariedade Social, entre outras. Baseia-se em circuitos curtos de comercialização, assentes em modos de produção e consumo ambientalmente sustentáveis que promovam a biodiversidade, os conhecimentos tradicionais e as dietas saudáveis, com grande foco na dieta mediterrânica.

Como principais acções deste projecto a DRAP Algarve destaca a realização de diagnostico para a reorganização de mercados locais (cadeias curtas de comercialização), avaliar o mercado institucional do alimento (regional/municipal), testar acções-piloto (abastecimento de cantinas públicas) e desenvolver uma estratégia global de compras públicas de alimentos para a região.

Rede de Produtores Locais do Algarve

O projecto da Rede de Produtores Locais do Algarve visa a formalização de circuitos de comercialização baseados em cadeias curtas, aproximando os produtores agroalimentares dos consumidores, garantindo os requisitos de qualidade e segurança alimentar e o apoio técnico aos produtores.

Decorreu ontem, 13 de Outubro, mais um encontro desta Rede, constituída, nesta fase, pela DRAP Algarve, DGADR — Direcção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, AMAL — Comunidade Intermunicipal do Algarve, Universidade do Algarve, os Municípios de Lagos, Loulé e Tavira e as três Associações de Desenvolvimento Local do Algarve (Vicentina, In Loco e Terras do Baixo Guadiana) onde se discutiram os projectos e as linhas de acção que irão ser lançadas para a Região Algarvia, no período entre 2022-2025.

Segundo a DRAP Algarve, prevê-se que nos próximos encontros sejam apresentadas e discutidas as diferentes componentes da candidatura e do plano de acção da Rede de Produtores Locais do Algarve.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •   
  •  

Verifique também

PSD pede à ministra da Agricultura que esclareça atribuição de terrenos agrícolas em Idanha-a-Nova

Partilhar              O Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata (PSD) quer saber o que se passou com …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.