Início / Agricultura / Quinta Foz Torto tem novas edições dos tintos e do branco

Quinta Foz Torto tem novas edições dos tintos e do branco

Acabam de chegar ao mercado as novas edições dos vinhos Foz Torto, um projecto desenhado ao pormenor, por Abílio Tavares da Silva, o produtor, dono de um fascínio incondicional pelo Douro.

Entre as novas edições dos vinhos Foz Torto em lançamento contam-se o Foz Torto tinto 2015, um vinho de lote de sete castas diferentes, com predominância de Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Francisca e apontamentos de Tinta Roriz, Alicante Bouschet, Sousão e Tinta Barroca. Tem um PVP de 13 euros.

Já o Foz Torto Vinhas Velhas tinto 2015, produzido a partir de uvas colhidas em Vinhas Velhas da Quinta Foz Torto, destaca-se pelo toque de frescura dado pela casta Rufete. PVP 33 euros.

O Foz Torto Vinhas Velhas branco 2016, regressa ao mercado, depois do interregno do ano passado, resultado das trovoadas que, em 2015, dizimaram quase toda a colheita. Produzido a partir de Vinhas Velhas que o projecto Foz Torto possui em Murça. PVP 20 euros.

Quinta boutique

A Foz Torto é uma quinta boutique do Douro, mesmo ao lado do Pinhão e com vistas fantásticas, e é também um dos projectos vínicos mais inspiradores do Douro actual. Os vinhos são feitos pela conhecida enóloga Sandra Tavares da Silva.

Este projecto nasceu da paixão pelo Douro do ex-informático e ex-empresário Abílio Tavares da Silva, que no início de 2000 decidiu mudar de vida. Vendeu as empresas que detinha em Lisboa e rumou com a família em direcção ao Alto Douro para concretizar um velho sonho: produzir vinhos na região onde nasce o Vinho do Porto.

Abílio Tavares da Silva é dono de um fascínio incondicional pelo Douro. Ano após ano, colheita após colheita, a mesma convicção na excelência da região vinícola e a mesma alegria em fazer parte daqueles que trabalham e usufruem da natureza e humanidade daquele território.

Mas o produtor de Foz Torto não é apenas um lisboeta e informático emocionalmente convertido ao Douro. É um produtor envolvido em “fazer vinhos de qualidade superior e que integram o tempo, o lugar e o saber humano”, como o próprio comenta. Este compromisso genuíno com a terra e a natureza dão ao projecto um outro sentido e é dele também que disfrutamos quando bebemos os vinhos.

Mistura de castas nas vinhas velhas

Localizada nas encostas do rio Torto e na zona de encontro deste com o Douro, a quinta beneficia da influência de um vale que permite produzir “vinhos bem maduros, mas muito elegantes e finos”, caracteriza Sandra Tavares da Silva, autora dos vinhos Foz Torto. Este perfil de vinhos, acrescenta a reconhecida enóloga, “tem tudo a ver com a mistura de castas nas vinhas velhas que tradicionalmente existem naquele vale, com predomínio da casta Rufete, a qual permite criar vinhos mais leves e frescos”.

“A Quinta de Foz Torto tem um potencial incrível que se tem vindo a manifestar de modo consistente. São vinhos muito persistentes e profundos que se vão mostrando melhor ao longo dos anos”, refere ainda a enóloga ao concluir que os vinhos Foz Torto apresentam “um perfil muito complexo e rico”.

Agricultura e Mar Actual

 

 
       
   
 

Verifique também

Bolsa do Porco – Semana 02/2022 – Subida de 0,010 euros

Partilhar               Análise da FPAS — Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores Mercado europeu Espanha deu …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.