Início / Agenda / Quer investir na cultura do medronho? Associação do sector faz curso em Odemira

Quer investir na cultura do medronho? Associação do sector faz curso em Odemira

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Fórum Florestal, Arbutus – Associação para a Promoção do Medronho e a Associação Humanitária Dª Ana Pacheco vão realizar, nos dias 10 e 11 de Agosto, na Escola Básica de Sabóia, em Odemira, a terceira edição do curso de “Investimento na Cultura do Medronho”.

As inscrições podem ser feitas até 7 de Agosto, através do telefone 963 434 307 ou do email formacao.forumflorestal@gmail.com, ou por via electrónica aqui. A organização informa que o preço da formação só será confirmado após o fecho da campanha de patrocínios.

A cultura, comercialização e novas tecnologias na transformação e destilação do medronheiro são alguns dos conteúdos programáticos.

Aumento de interesse pela cultura

Explica a organização que, “na sequência da elevada adesão registada na fase de inscrições nas 1ª e 2ª e procurando alargar a intervenção formativa a outras regiões e concelhos/autarquias do Alentejo e Algarve, que também pretendem apoiar iniciativas de promoção e valorização desta cultura”, está a promover uma terceira edição do curso.

Adianta a mesma fonte que o “estado actual do conhecimento, investigação e inovação sobre a cultura do medronheiro em regime de pomar, conservação e processamento do medronho em fresco e desidratado tem aumentado o interesse desta cultura quer junto dos projectistas quer dos actuais e potenciais investidores”.

Agricultura e Mar Actual

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Verifique também

Valorização da fileira do queijo da Região Centro: Escola de Queijeiros já arrancou

Partilhar            A Sessão Solene de Abertura da Escola de Queijeiros, uma iniciativa pioneira no País, que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.